A contribuição das Boas Práticas nas organizações

bestpDe maneira simples podemos entender “boas práticas” como um conjunto de técnicas para realizar determinada tarefa de forma a atingir resultados superiores a média. Por isto, sempre desejáveis sua adoção. Não é inteligente negar seu benefício para a evolução de modelos de gestão, e ganhos de toda ordem: financeiro, social e ambiental.

Boas Práticas Socioambientais são frutos de modelos gerenciais de excelência que algumas organizações desenvolvem e implementam.  O “Modus Operandi” de uma organização é que produzirá boas práticas, e não o seu contrário. Por isto, elas (as boas práticas) são importantes e raras quando falamos de sustentabilidade.

O Modus Operandi de uma organização é que produzirá suas boas práticas

Um “Modus Operandi” desconectado dos princípios e diretrizes da sustentabilidade não será capaz de modus_operandiproduzir (boas) práticas, e neste caso, a organização ficará restrita a intenção (discurso). A dificuldade em se ter boas práticas deve-se ao Modus Operandi da organização. E a facilidade para permanecer na intenção (discurso), também.

Um modelo gerencial de excelência produzirá práticas capazes de atingir resultados superiores a média, e quando compartilhadas, fortalecerão a confiança dos stakeholders na organização. Portanto, não há justificativas para não compartilhar uma boa prática, a não ser que não seja de fato uma boa prática.

Sobre o Programa Benchmarking Brasil:

Bench_louro_verde_2016_pO Programa se consolidou como um dos mais respeitados Selos de Sustentabilidade do país. Com metodologia própria reconhecida pela ABNT, reconhece, certifica e compartilha as melhores práticas socioambientais das instituições brasileiras. Já certificou 339 práticas,  de 182 instituições de 26 diferentes ramos de atividades. Com aproximadamente 200 especialistas de mais de 22 diferentes países participando da comissão técnica, o programa se tornou uma plataforma da inteligência coletiva em sustentabilidade.

Todo este conhecimento aplicado produzido pelos especialistas atuantes em sustentabilidade são compartilhados em publicações especializadas e eventos técnicos. Além do Banco Digital de práticas disponível na internet, são 03 livros publicados e mais de 60 encontros técnicos realizados, além de 11 edições da Revista Benchmarking.

Em 2013, o Programa foi o grande vencedor, 1o colocado, na categoria Humanidades do Prêmio von Martius de Sustentabilidade da Câmara Brasil Alemanha. Em 13 edições já realizadas construiu e detém o maior banco de boas práticas socioambientais certificadas e com livre acesso do país. É considerado a fotografia da gestão socioambiental brasileira registrando seu nível de maturidade e evolução em sustentabilidade, e as inscrições de cases para concorrer a certificação Benchmarking que define o XIV Ranking dos detentores das melhores práticas socioambientais do Brasil poderão ser feitas no próprio site até 15 de abril. Para se inscrever, clique AQUI

A XIV edição do Programa Benchmarking Brasil conta com o apoio institucional do TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) e do IAPMEI – Parcerias para o crescimento do ministério de economia do governo de Portugal, e com o apoio de divulgação de diversos portais especializados em sustentabilidade, e também mantém parceria com as escolas profissionalizantes Centro Paula Souza, IFSP e Senai SP,  e com as universidades Anhembi Morumbi, Uninove e Mackenzie nas modalidades Benchmarking Junior e Hackathon MAIS, respectivamente.

São Paulo, 14 de Abril de 2016
Assessoria de Imprensa
(11) 3257-9660/  3729-9005
benchmarkingbrasil.com.br