A legitimidade de quem adota e compartilha boas práticas

Para ser Legítimo tem que ser Benchmarking.
E para ser Benchmarking tem que ter excelência, coerência e transparência em boas práticas

Apenas organizações logo_lampada_site_343x343que são realmente comprometidas compartilham suas práticas e abrem seus modus operandis a públicos especializados e formadores de opinião.  Neste vestibular da sustentabilidade aplicada só passam organizações que comprovam a adoção das melhores práticas em seus negócios e empreendimentos. Nestes 13 anos de existência, o Programa Benchmarking Brasil já certificou e compartilhou 311 práticas de sustentabilidade, reconhecidas como cases Benchmarking.

Tornar-se “Benchmarking” que na linguagem corporativa significa ser uma referência e um exemplo a ser seguido, não é fácil, nem simples, nem para todos. Ao observar o Banco de Práticas do Programa Benchmarking, nota se claramente a regularidade e continuidade das organizações em sustentabilidade aplicada, destacando se aquelas que anualmente tiveram folego e competência para emplacar um ou mais cases no Ranking Benchmarking dos detentores das melhores práticas socioambientais do Brasil.

O Programa Benchmarking Brasil atua no específico, no detalhe,  na excelência do“modus operandi” de cada prática. “Tão (ou até mais) importante que os resultados alcançados é a forma como se chegou a eles. É esta contribuição o Benchmarking dá a sociedade”, informa Marilena Lavorato idealizadora do Programa Benchmarking Brasil.sustentabilidade-corporativa-1024x9671

Os cases são avaliados por especialistas de vários países que pontuam quesitos da pratica sem ter acesso ao nome da organização. Os cases que obtém índice técnico (pontuação igual ou superior a 7.1) são considerados “Benchmarking” pela excelência técnica e metodológica com que foram desenvolvidos e implementados pelos seus gestores e pela instituição.

Em 12 edições já realizadas, 160 especialistas de 21 diferentes países trabalharam voluntariamente para a seleção dos melhores cases de sustentabilidade que integram o Ranking Benchmarking de cada edição e que depois de aprovados, passam a fazer parte do maior Banco Digital de Práticas de Sustentabilidade com livre acesso na internet do país.  Os cases Benchmarking, além do Banco Digital, são compartilhados com públicos especializados e formadores de opinião em encontros técnicos, revistas especializadas e livros de gestão. A série BenchMais já lançou 2 volumes, BenchMais 1 e BenchMais 2. Em 2015 será lançado BenchMais3 com participações especiais de personalidades consagradas da sustentabilidade, além dos resumos dos cases Benchmarking certificados nas edições anteriores.

Sobre o programa Benchmarking Brasil: 

louroverde2015_p

Em 12 edições já realizadas, o Programa Benchmarking Brasil se consolidou como um dos mais respeitados Selos de Sustentabilidade do país. Com uma metodologia estruturada, reconhecida pela ABNT,  e participação de especialistas de vários países, o Ranking Benchmarking define e reconhece os detentores das melhores práticas de sustentabilidade do Brasil. O programa, além do Ranking congrega outras ações de fomento a sustentabilidade como publicações, banco digital de livre acesso, encontros técnicos, feiras e congressos, entre outros. Além de incentivar a busca da melhoria contínua e a adoção das boas práticas nas organizações, o Programa Benchmarking Brasil contribuiu ao longo destes 12 anos de forma efetiva com a construção de massa crítica em sustentabilidade no país. Em 2013, Benchmarking Brasil foi o grande vencedor (1º colocado) na categoria Humanidades do Prêmio von Martius de Sustentabilidade da Câmara de Comércio Brasil Alemanha. Empresas e gestores com boas práticas socioambientais podem inscrever seus cases até 17 de abril. Inscrições, clique AQUI

São Paulo, 10 de abril de 2015

Assessoria de Imprensa
benchmarkingbrasil.com.br
(11) 3257-9660/  37299005