Banco Digital Resíduos 9

BANCO DIGITAL DE BOAS PRÁTICAS SOCIOAMBIENTAIS
RESUMOS CASES BENCHMARKING – TEMÁTICA GERENCIAL
RESÍDUOS

Paginas: 01  02  03  04 05 06 07 08

 

 

Prefeitura Municipal de Poços de Caldas 
Case:
 Desenvolvimento de um modelo de Gestão de Resíduos  
Cidade:
 Poços de Caldas
Estado: MG
Responsável: Yula de Lima 
Cargo: Gerente de Vigilância Sanitária

Resumo: O modelo de gestão de resíduos de Poços de Caldas é uma experiência de educação e gestão ambiental que inclui: (a) pesquisa quantitativa e qualitativa para detectar o nível do controle ambiental, químico e biológico dos resíduos gerados pelo município; b) aplicação de pesquisa qualitativa p ara a valiar o perfil dos catadores e servidores municipais da coleta de lixo; (c) organização de simpósios sobre resíduos de serviços de saúde para orientar os estabelecimentos sobre a resolução; (d) inspeções educativas aos geradores de resíduos; (e) formulação do Plano de Gerenciamento de resíduos de serviços de saúde; (e) implementação da coleta seletiva no setor da Vigilância Sanitária, pois cabe ao Governo o papel estratégico de induzir a sociedade a adotar novos referenciais de produção e consumo de bens materiais, também com o intuito dos servidores públicos “vestirem a camisa” do Desenvolvimento Sustentável, pois de nada adianta as ações educativas decorrentes de programas e projetos governamentais se, dentro de nossos locais de trabalho, nos posicionamos como seus meros espectadores. Edição 2005

 

 

SAMA S.A minerações Associadas
Case
: Programa Sambaíba: Artesanatos em rocha estéril de serpendinito e fibra de bananeira 
Cidade: Minaçu 
Estado: GO
Responsável: Cilene Bastos de Paula 
Cargo: Coordenadora de Programas Sociais e Sustentabilidade

Resumo: A metodologia utilizada nos projetos é o grande diferencial. Todo o processo de confecção das peças artesanais em Rocha Estéril de Serpentinito é umidificado e na confecção das embalagens e papéis de fibra de bananeira nenhum tipo de substância química é usada. Com esse diferencial a empresa reafirma seu o compromisso com a sustentabilidade ambiental, social e econômica. Além de corretos critérios ocupacionais incluiu a Educação Ambiental no dia a dia da Cooperativa. Os artesãos foram sensibilizados em relação ao uso racional da água e energia. Atualmente além do reaproveitamento do papel A4 utilizados nos escritórios, também são aproveitados para a confecção das embalagens os papelões advindos da empresa. Também a aparas dos papeis de fibra de bananeira retornam ao processo da confecção do papel, resultando em “ZERO” a geração de resíduo. Edição 2010

 

 

Sociedade Alphaville11 e Residencial Onze 
Case:
 Terra Limpa 
Cidade: São Paulo
Estado: SP
Responsável: Giulio Fortunato Rolfo 
Cargo: Diretor

Resumo: Racionalização do destino do lixo doméstico no residencial 11- Alphaville. O modelo adota soluções a custos baixíssimos, pois aproveita a estrutura administrativa e de serviços existentes no condomínio. Os moradores recebem sacos de lixo na cor verde para que sejam depositados materiais recicláveis, e que são retirados as 2ªs e 5ªs, no mesmo horário do caminhão normal, por um veículo exclusivamente para este fim. No período de 21 de outubro (primeira coleta) à 25 de dezembro de 2001, transportamos 90 mil quilos de papéis, papelões, latas, plásticos e embalagens tetrapak, Em 2002, 430 mil quilos. Estes índices ficaram acima das expectativas iniciais do programa que previa a adesão de 60% dos moradores do Residencial. Edição 2003

Banco Digital Residuos 9

BANCO DIGITAL DE BOAS PRÁTICAS SOCIOAMBIENTAIS
RESUMOS CASES BENCHMARKING
TEMÁTICA GERENCIAL

RESÍDUO
Paginas 01  02  03  04  05  06  07  08  09  10  11

Verallia

Case: Reciclagem do vidro parabrisa

Cidade: São Paulo

Estado: SP

Responsável: Lilian Velloso Pereira  

Cargo: Gerente de Meio Ambiente e Sustentabilidade

 

Resumo: Sempre à procura de alternativas inovadoras para que o desenvolvimento sustentável e a melhoria de processos caminhem juntos, foi elaborado esse projeto que comprovou essa eficácia. Estima-se que 1,5 milhão de vidros parabrisas sejam trocados no Brasil, tornando-se um problema ambiental e, ao mesmo tempo, uma oportunidade, pois o vidro é 100% reciclável. O projeto é centrado na resolução de um problema de disposição de resíduos sólidos, como o caso do vidro parabrisa, e a oportunidade de aumentar a percentagem de caco de vidro reciclado na composição, visto que, após o beneficiamento, seu uso é muito eficaz no processo produtivo: 1kg de caco produz 1kg de garrafa, ou seja, não há perdas no processo. A planta onde o projeto foi desenvolvido está localizada em Porto Ferreira – SP, cidade com mais de 50.000 habitantes, a 230 km de São Paulo, perto de centros urbanos e mercado automobilístico bem desenvolvido. O vidro do parabrisa que antes era um problema transformou-se em oportunidade de inovação e sustentabilidade. O projeto teve início em 2003, envolvendo desde a pesquisa e averiguação da viabilidade no processo até a captura de resíduos parabrisas, a técnica de moagem, remoção de PVB, controle da granulometria, o armazenamento e o processo de fusão de vidro. A principal dificuldade de utilização do vidro parabrisa é a presença de uma camada de plástico feita de PVB (polivinilbutiral) laminada entre duas folhas de vidro plano. Esta camada deve ser removida antes da sua utilização no forno de outra forma prejudicariam a qualidade do vidro. Diversas medidas foram tomadas e vários testes foram feitos para chegar à condição ideal de tamanho de partícula de caco, que permite a redução da contaminação por PVB, por meio de segregação. Após beneficiamento, o caco parabrisa passa por procedimento de controle de qualidade em laboratório, de forma a confirmar se está dentro dos limites de concentração de PVB aceitável. Esse procedimento é feito três vezes ao dia. Edição 2014

 

Voith Paper Maquinas e Equipamentos  

Case: VOITH RECICLA

Cidade: São Paulo

Estado: SP

Responsável: Affonso Alvarez

Cargo: Engenheiro de Meio Ambiente

 

Resumo:  O projeto de implantação do programa ”VOITH RECICLA“ foi concebido após a identificação da necessidade de se tomar uma posição definitiva do sistema de coleta seletiva, até então funcionando precariamente, apenas em setores isolados da fábrica, sem resultados expressivos. Percebeu-se a carência de informações, motivação, recursos (coletores, pontos de coleta, procedimentos formais, responsáveis bem definidos) e engajamento dos funcionários. Para operacionalizar o projeto, estabeleceu-se uma parceria com uma empresa de comércio de aparas que disponibilizou os coletores seletivos de materiais para o início do programa, material para divulgação e contratou peças teatrais para conscientização do público alvo. Estes recursos foram pagos por este aparista e amortizados com o próprio material enviado para reciclagem. Os principais objetivos definidos foram a conscientização do público permanente da fábrica e o aumento da quantidade em peso dos materiais (papel e plástico inicialmente) enviados para reciclagem. As metas para estes objetivos foram: levar material informativo e de divulgação para, no mínimo, 90% do público localizado na planta Voith-Jaraguá e aumento de 10% em peso do material enviado para reciclagem. Posteriormente o programa foi estendido para outros materiais como metais, óleos, abrasivos e vidros. Edição 2005

 

Vomm Equipamentos e Processos

Case: Solvay: transformando resíduos em receitas socioambientais e econômicas, através da Turbo-Tecnologia™ VOMM.

Cidade: São Paulo 

Estado: SP 

Responsável: Marco Vezzani

Cargo: Diretor

 

Resumo: Com o objetivo do enquadramento da empresa dentro dos mais rígidos padrões de gestão ambiental, eliminação de passivos e redução de desperdícios, foi implementado um plano de gestão de resíduos caracterizado pela minimização dos desperdícios, pela rastreabilidade, e pela reutilização interna e externa, ambientalmente e economicamente viável. Foi adotado  Turbo-Tecnologia™ VOMM: eficaz, limpa, moderna e econômica, capaz de agregar valor a lodos e sub-produtos hidratados, preservando suas características físico-químicas, com o menor consumo energético e com a maior segurança operacional e ambiental. Edição 2006


Paginas 01  02  03  04  05  06  07  08  09  10  11