Cases Bench 2011

BANCO DIGITAL DE BOAS PRÁTICAS SOCIOAMBIENTAIS
RESUMOS CASES BENCHMARKING ­- Edição 2011 – Ordem Alfabética

 

AGCO do Brasil – Unidade Valtra do Brasil Ltda

Case: Projeto Integrado Biodiesel – 100% Biodiesel

Cidade: Mogi das Cruzes

Estado: SP 

Responsável:  Sirlene Dutra

Cargo: Analista de Meio Ambiente

 

Resumo: No rastro da sustentabilidade, pensando na tendência de expansão do uso de energia renovável no campo, a AGCO desenvolveu uma linha de produtos, composta por tratores, colheitadeiras e pulverizadores com motores aptos a trabalhar com diesel e biodiesel B-100, ou seja, 100% biodiesel. Com a adoção dessa prática foi notado alguns benefícios: Como se trata de energia limpa, o biodiesel tem a vantagem de ser uma fonte de energia renovável, menos poluente, quando comparado a queima do diesel, numa redução substancial de emissão de gases poluentes; prevenção de contaminação em caso de vazamentos no solo, etc. A busca por combustíveis renováveis é uma realidade e saímos na frente com um produto versátil que opera com diesel e que também estão prontos para trabalhar com 100% biodiesel.

O engajamento da equipe responsável foi fundamental, a manutenção de parcerias duradouras foi essencial para se obter resultados desejados. Edição 2011

 

Ambev – Companhia de Bebidas das Américas

Case: Banco Água

Cidade: São Paulo

Estado: SP

Responsável: Ricardo Rolim

Cargo: Diretor de Sustentabilidade e Comunicação

 

Resumo: O Banco Água é uma iniciativa do Movimento “Quem vê água enxerga seu valor”, criado pela empresa participante com o intuito de levar para a sociedade a preocupação com o tema água. O objetivo do projeto é engajar toda a sociedade para que todos percebam que podem contribuir para que a água do mundo, um recurso tão importante e limitado, seja usada racionalmente. A ideia é introduzir o tema no dia a dia das pessoas, estimulando um consumo sustentável da água e engajando toda a sociedade quanto à relevância desse tema, recompensando aqueles que conseguirem diminuir a utilização do recurso.

Com isso, o morador pode acompanhar seu desempenho na conta de água e, à medida que reduz o consumo, acumula pontos que podem ser trocados por descontos em sites de compras, como Americanas.com, Submarino.com, ShopTime, Ingresso.com. Edição 2011

 

ARCELORMITTAL TUBARÃO

Case: Biodiversidade através de Projetos e Resgate da Fauna e da Flora com Enriquecimento do Cinturão Verde

Cidade: Serra

Estado:ES 

Responsável: Guilherme Correa Abreu

Cargo: Gerente de Meio Ambiente 

 

Resumo: As pesquisas e os estudos realizados na empresa têm contribuído para o aumento significativo da biodiversidade. Estes resultados demonstram que o enriquecimento desta biodiversidade está além da proteção e preservação ambiental, tem sido uma ferramenta de transformação e mudança de comportamento de empregados, parceiros e comunidade local que em épocas passadas ainda capturavam animais e parte da flora para o consumo e comercialização. Atualmente são verdadeiros agentes ambientais na proteção que coíbem fortemente estas ações, sendo um ponto de destaque nas ações ambientais desenvolvidas internamente e na circunvizinhança da empresa. Edição 2011

 

ASSOCIAÇÃO VALE PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Case: 2 anos de Ações pela Conservação dos Recursos Naturais e Desenvolvimento Local – deixando um legado positivo para as próximas gerações.

Cidade: RIO DE JANEIRO

Estado: RJ    

Responsável:  Mirella Sandrini

Cargo: Gerente

 

Resumo: Criada em 2009, a organização transformou em metodologia sua Missão: integrar, transformar e desenvolver. Os elementos que tangibilizam esta metodologia são:Visão de longo prazo; Opção por iniciativas estratégicas estruturantes; Atuação pró-ativa, participativa (visitas de campo, fóruns, encontros de parceiros, cursos de capacitação); Seleção e apoio a projetos de parceiros qualificados. Com esta metodologia o FV opera em duas dimensões: os projetos têm um importante impacto geopolítico no território e a rede de parceiros tem importância fundamental para influenciar políticas públicas de base local.Edição 2011

 

CARGIL AGRÍCOLA S/A

Case: Projeto Salto + Limpo: Recuperação, Conservação e Educação Ambiental no Córrego do Salto

Cidade:Uberlândia

Estado : MG

Responsável: Rudolfo Friedrich Von Borstel

Cargo: Supervisor de Meio Ambiente

 

Resumo: O Projeto Salto + Limpo, de recuperação e conservação da nascente do córrego do Salto, tem suscitado mudanças comportamentais em todos os envolvidos no projeto, empresa e comunidade, por meio da educação ambiental, tornando-os multiplicadores na prática de atitudes sustentáveis, contribuindo para a melhoria da relação sociedade VS. natureza.

Revitalização das nascentes do córrego do Salto com o plantio de 16.000 mudas de espécies nativas do Cerrado, isolamento da área, controle de processos erosivos, reconhecimento interno e externo através de prêmios, implementação de projetos de educação ambiental mobilizando funcionários e comunidade a promover a conservação do meio ambiente. Edição 2011

 

Celulose Irani S.A.

Case: Recuperação da Área de Preservação Permanente do Riacho da Anta

Cidade: Vargem Bonita

Estado: SC 

Responsável: Janete Scalcon

Cargo: Supervisora de Gestão Ambiental 

Resumo: O trabalho possibilitou o mapeamento das áreas de preservação permanente, possibilitando a definição de áreas para possível expansão da empresa, dessa forma fica garantida a conservação em área de APP e áreas de compensação.Houve a revegetação de 15,22 hectares, sendo 7,28 hectares da Área de Preservação Permanente do Riacho da Anta e 7,94 hectares em áreas de compensação através do plantio de aproximadamente 8.000 mudas, pertencentes a 16 espécies nativas da região.Embora os resultados mais significativos sejam observados a médio e longo prazo, é possível verificar que o a técnica sugerida foi válida e já apresenta benefícios ao meio ambiente, pois através da interligação dos remanescentes vegetais busca-se recompor o fluxo gênico das populações, favorecendo os fenômenos de dispersão de espécies, possibilitando aporte de nutrientes, além de ampliar a oferta de nichos à fauna. Edição 2011

 

Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia – COELBA

Case: Projeto VALE LUZ

Cidade: Salvador

Estado: BA    

Responsável: Ana Crhistina Romano Mascarenhas

Cargo: Assessora de Eficiência Energética  

 

Resumo: O VALE LUZ é um projeto de caráter sócio-ambiental que tem como finalidade reduzir o valor da conta de energia da população de baixa renda e criar um destino alternativo para o lixo. A Coelba acredita que vale a pena usar a energia para reinventar e transformar, até mesmo o que já não servia mais, em algo de valor real para as pessoas e o meio ambiente.

Com o andamento do projeto, já foi descontado um total de R$16.663,64 em contas de luz existindo inclusive casos de quitação total da conta mensal de energia elétrica por parte de alguns consumidores, apenas através de créditos gerados pela venda dos resíduos sólidos.

No caráter ambiental já foram retiradas aproximadamente 68 toneladas de resíduos sólidos que iriam para os aterros sanitários e que por fim, foi destinada a reciclagem. O projeto é amplamente replicável tendo em vista que ele já esta em andamento desde Dezembro de 2007. Acreditamos que toda empresa pode ser agente de transformação social e o Projeto VALE LUZ colabora para uma nova postura da população quanto à forma de destino de cada resíduo sólido que produz dentro de suas casas e a responsabilidade que a sociedade precisar ter com o meio ambiente. Edição 2011

 

CONCESSIONÁRIA ECOVIAS DOS IMIGRANTES SA

Case: Viveiro de Mudas: Semeando a inclusão social

Cidade : São Bernardo

Estado: São Paulo

Responsável: Valdir Ribeiro

Cargo : Coordenador de Sustentabilidade

 

Resumo: A metodologia do case do Viveiro de Mudas é bastante simples e conta com o comprometimento e a dedicação de todos os envolvidos. Para o sucesso do projeto, firmamos uma parceria junto a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE-Diadema), além do enorme apoio e envolvimento dos colaboradores indiretamente envolvidos com o Viveiro de Mudas. A inclusão dos colaboradores especiais acontece de maneira irrestrita. Todos dividem os mesmos espaços sociais como restaurantes, área de vivência, eventos e festas, além de, eventualmente, ilustrarem as publicações da imprensa interna. Tivemos como resultado a produção de mais de 150 mil árvores de espécies nativas, utilizadas na recuperação ambiental em áreas de preservação impactadas pelas atividades da organização, a inclusão social de 11 (onze) deficientes intelectuais, através de parceria realizada entre nós e a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Diadema, a produção de mudas de espécies arbóreas com a utilização de água de reuso, captada em sistema instalado nas próprias estufas do Viveiro, a melhoria no desenvolvimento psicossocial dos colaboradores que apresentam deficiência intelectual e a redução significativa dos custos dos projetos de recomposição florestal decorrentes de intervenções realizadas no meio ambiente. Edição 2011

 

Construtora Andrade Gutierrez S.A

Case: Utilização de Palha de Carnaúba no Revestimento de Isolamento Térmico de Tubulações

Cidade: Paulínia

Estado: SP

Responsável: karla costa

Cargo: Coordenadora de Meio Ambiente 

 

Resumo: A adoção do produto alternativo promove a economia e o desenvolvimento sustentável no processo da Petrobras de revestir alguns de seus dutos (linha de vapor) com materiais alternativos, devido ao alto custo do investimento com materiais industrializados (alumínio), cuja comercialização não traz nenhum benefício às comunidades da região onde são aplicados e ainda conta com o prejuízo causado pelo roubo do alumínio.

A produção é simples e totalmente manual. Desta forma, necessita de habilidade artesanal no processo produtivo, o que pode ser desenvolvido a partir de ONGs ou cooperativas que se organizem para esta finalidade. A palha é trançada em malhas bem fechadas em formato de esteiras, com dimensões predefinidas, de acordo com o calibre da tubulação. A partir daí, é aplicada uma camada de resina acrílica à base d água nas esteiras, para conferir características de impermeabilidade ao revestimento e proteção do isolamento (perlita – mineral de origem vulcânica, utilizada por sua característica de isolamento térmico).

Uma vantagem dessa metodologia aplicada é que já é similar à existente e praticada na Unidade. O revestimento proposto não interfere na sistemática adotada para o isolamento térmico das tubulações, e ainda confere alguns benefícios na sua aplicação em campo.Um destes benefícios refere-se a questões de segurança no trabalho, pois elimina os riscos de acidente de trabalho que são característicos no manuseio e corte das chapas de alumínio tradicionais. Edição 2011

 

DIAGEO BRASIL

Case: Todo mundo reciclando vidro.

Cidade: São Paulo

Estado: SP

Responsável: Fernanda Bardi Quio

Cargo: Gerente Jurídico

 

Resumo: O Programa conseguiu alcançar benefícios nos 3 pilares da sustentabilidade: econômico, ambiental (342mil quilos de vidro coletados e reciclados nos seis primeiros meses) e social (inclusão e capacitação de catadores cooperados).Um aprendizado fundamental.

As parcerias são fundamentais para o sucesso do programa.

Com elas conseguimos garantir o ciclo infinito do vidro: parcerias com donos de casas noturnas para separação das garrafas; parceria com cooperativa para coleta; parceria com fabricante para compra do vidro.

Além das parcerias, o desenvolvimento da Cooperativa é fundamental para a reprodução do case. Não basta apenas a capacitação, é necessário um processo transformacional da forma como gerir a cooperativa, de forma que ela seja operacionalizada como uma empresa e os catadores como empreendedores. Edição 2011

 

Duke Energy Geração Paranapanema S. A.

Case:Conservação Ambiental do Parque Estadual do Cerrado de Jaguariaíva, Último Fragmento de Cerrado da Região Sul do Brasil, Através do Controle de Plantas Exóticas Invasoras

Cidade: Chavantes

Estado: SP 

Responsável: Rogério Cânovas Camargo Ferreira

Cargo: Analista de Meio Ambiente

 

Resumo: O aprendizado fundamental deste projeto foi compreender como manejar áreas naturais que precisam da intervenção humana para tentar reverter impactos causados pela própria ação antrópica. A discussão sobre o impacto de espécies invasoras em ambientes naturais tem sido frequentes entre pesquisadores, técnicos de instituições públicas que administram áreas de conservação ambiental e empresas que possuem áreas a serem recuperadas, porém a definição de metodologias para o manejo destas pragas sem causar maiores danos ainda é incipiente. Neste contexto, o projeto atual foi criado visando auxiliar à conservação da fauna e flora da região de influência indireta do empreendimento, onde se localiza o Parque Estadual do Cerrado de Jaguariaíva, através do controle periódico de um de seus maiores fatores de impacto, que eram as plantas gramíneas exóticas invasoras. Edição 2011

 

DURATEX S.A.

Case: Educação e Inclusão Social

Cidade: São Paulo

Estado: SP

Responsável: José Luiz da Silva Maia 

Cargo: Gerente de Meio Ambiente e Proteção Florestal

 

Resumo: Apresentar uma ação de grande importância e sucesso na iniciativa de promover a Inclusão Social realizada em parceria com instituições de governo e associações de apoio a grupos necessitados. O projeto Educação e Inclusão Social comprova que através do desempenho da responsabilidade social é possível beneficiar todos os envolvidos, sem comprometimento das atividades da empresa coordenadora do projeto. Aliás, pelo contrário, por meio dessa iniciativa, é possível identificar potencialidades em alunos que podem fazer parte do quadro de funcionários da empresa. O projeto poderá contribuir para que outras organizações tenham facilitados os procedimentos de atendimento a Lei 8.213/91 (Lei de Cotas para Portadores de Necessidades Especiais). Através desse projeto é possível oferecer ao mercado, profissionais capacitados e beneficiar além da comunidade, também outras empresas dos segmentos agrícolas e florestais. Edição 2011

 

Firmenich & Cia Ltda

Case: Cadeia Sustentável da Copaíba Amazônica

Cidade: Cotia

Estado: SP 

Responsável: Andre Tabanez

Cargo: Gerente Regional de Ingredientes Naturais

 

Resumo: Na cadeia produtiva tradicional os coletores de óleo de copaíba produzem somente quando precisam de dinheiro, o que leva a uma inconstância no fornecimento do material. Adicionalmente, não há qualquer tipo de treinamento para esses coletores e não há controle sobre a forma como a extração é realizada. O óleo coletado por eles é vendido por valores entre R$ 5,00 a R$ 13,00 reais o quilograma ou trocado por alimentos a preços abusivos com os intermediários. Esses vendem o óleo por R$ 10,00 a R$ 20,00 reais o quilograma para os nossos fornecedores tradicionais (anteriores à implementação do projeto). No projeto desenhado por nossa empresa, a compra é feita diretamente das comunidades coletoras, sem intermediários. A condição para o fornecimento é que a coleta seja feita de forma sustentável, respeitando as boas práticas para esta coleta. Para eventual suporte técnico-financeiro às comunidades, quando necessitarem, a empresa disponibilizará recursos que serão doados a ONG’s, que serão obrigatoriamente usados na viabilização da produção pelas comunidades. Edição 2011

 

FUNDAÇÃO PRO-HEMORIO

Case: Projeto INFOCYCLE: reaproveitamento de resíduos eletrônicos e prevenção da poluição ambiental

Cidade: Rio de Janeiro

Estado: RJ

Responsável: Carlos Henrique Cabral da Costa
Cargo: Superintendente Financeiro

 

Resumo: O projeto INFOCYCLE proporciona a atualização e padronização tecnológica de forma planejada com a significativa redução dos resíduos tecnológicos.

Durante o projeto piloto foram reaproveitados 60 equipamentos que se encontravam desativados na unidade de saúde, com o retorno de 100% dos equipamentos para uso imediato, suprindo as necessidades de nível crítico na Instituição. Esta prática trouxe como benefícios: Redução do descarte de resíduos tecnológicos de forma descontrolada; Revitalização patrimonial; Preservação do meio ambiente evitando o lançamento de 924 Kg de sucata contendo metais pesados no meio ambiente; Redução do consumo de energia de 50%; Economia de recursos na ordem de R$36.000,00; Desenvolvimento da consciência ambiental, promovendo um comportamento responsável em relação ao meio ambiente.

O material eletrônico obsoleto é conduzido para o laboratório de manutenção de hardware para revitalização, reaproveitamento de componentes e atendimento dos setores da instituição ou doação. Evita-se, assim, o descarte de resíduos tecnológicos de forma descontrolada, proporcionando a revitalização patrimonial. Edição 2011

 

GRUPO BARAM

Case: Programa de Sustentabilidade: alternativas sustentáveis para resíduos da construção civil.

Cidade: Esteio

Estado: RS

Responsável: Estela Kurth

Cargo: Comunicação e Marketing

 

Resumo: A sustentabilidade exige um olhar novo sobre os processos existentes, pois sempre há novas soluções para velhos problemas.

Em dois anos do Programa B de Sustentabilidade foram lançados quatro produtos que, juntos, fecham um ciclo de produção sustentável, além de contribuir para diminuir o impacto no setor de construção civil:

– A Usina de Reciclagem de Resíduos Sólidos da Construção e Demolição, para reaproveitamento dos resíduos, inclusive, no próprio canteiro de obras; Massa de Assentamento, produzida a partir dos resíduos da extração da dolomita, é uma significativa alternativa ao cimento; A máquina que produz tijolos a partir do material reciclado triturado, é uma alternativa ao processo de queima do tijolo tradicional, que tem grande consumo de lenha, além do consumo de matéria virgem, como o barro.

Tapume para obras produzido com sacolas plásticas, além de dar uma destinação prolongando o ciclo de vida, evita o consumo de madeira na produção dos tapumes tradicionais. Edição 2011

 

Instituto Embratel 21

Case: Reciclagem de Lonas Vinílicas

Cidade: Rio de Janeiro

Estado: RJ

Responsável: Luiz Bressan Filho

Cargo: Diretor

 

Resumo: As lonas utilizadas em material publicitário do Grupo Embratel  são doadas à ONG Tem Quem Queira, que retira o material nos locais onde estão expostos por meio de um processo cauteloso de manuseio, de forma a aproveitar a maior quantidade possível das lonas. Em seguida as lonas, já em poder da ONG, recebem tratamento especial de limpeza e são retiradas as marcas (logos) da empresa – uma vez que não se destinam mais a fins publicitários. Paralelamente, a Fundação Santa Cabrini, responsável pela Gestão do Trabalho Prisional no Estado do Rio de Janeiro, seleciona, observados os critérios técnicos e comportamentais, detentos que apresentem condições de reinserção na sociedade e que queiram reconstruir suas vidas de forma digna. Posteriormente, os detentos selecionados, em regime semiaberto, são encaminhados a Tem Quem Queira para capacitação.

Para cada três dias trabalhados é reduzido um dia da condenação do detento.

A partir deste momento as lonas são cortadas e utilizadas na confecção de bolsas, mochilas, estojos entre outros. Os produtos confeccionados são comercializados visando a auto sustentação do projeto. Edição 2011

 

Itaipu Binacional

Case: Gestão para a Sustentabilidade no Espaço Rural

Cidade: Foz do Iguaçu

Estado: PR   

Responsável: João José Passini 

Cargo: Gestor do Programa Desenvolvimento Rural Sustentável 

 

Resumo: O sucesso deve-se a implantação de metodologias orientadas a Gestão Ambiental, de Programas, de Informação Territorial e Participativa (atores sociais).

O aprendizado fundamental é que a formação de redes internas e externas cria uma simbiose entre os atores sociais, potencializando o uso de recursos e os resultados finais.

O Programa Desenvolvimento Rural Sustentável insere-se num contexto maior, que é o Programa Socioambiental da Itaipu, que desenvolve várias ações complementares entre si, fortalecendo-se mutuamente.

Externamente a gestão compartilhada através de um Comitê com representatividade dos parceiros permite a geração de conhecimentos e de aprendizado que vão sendo absorvidos de forma coletiva e permanente. Edição 2011

 

Itambé

Case: Cooperativismo Sustentável

Cidade: Belo Horizonte

Estado: MG

Responsável: Mauricio Petenusso

Cargo:Gerente de Sustentabilidade

 

Resumo: A relação entre a empresa (iniciativa privada), a associação (Sociedade organizada) e o Município (poder público) na produção de diferenças e avanços sustentáveis.

Aumento do número de catadores da ASCAMP (associação de catadores de Pará de Minas – MG) de 27 para 40, aumento da receita de cada catador que era entre R$ 450 e 500 para uns valores entre R$ 900 e R$ 1000, aumento na coleta de recicláveis do município de mais de 30 % em relação ao início do projeto. Edição 2011

 

Klabin

Case: Programa Fomento Florestal semeando o Desenvolvimento Sustentável

Cidade: São Paulo

Estado: SP

Responsável:  José Valmir

Cargo: Gerencia Comercialização Madeira Fomento Florestal 

 

Resumo: O programa surgiu da necessidade de promover uma integração da empresa com as comunidades onde ela está inserida.

Com o programa, a empresa disponibiliza a tecnologia florestal aos pequenos e médios produtores rurais e cria oportunidades para outros segmentos industriais, gerando alguns benefícios como: 18.000 agricultores; 104 mil hectares plantados com incentivos; 79 municípios no PR e SC; 174 milhões de mudas distribuídas, etc.

Recomendações para a reprodução da prática adotada: Identificar potencial de consumo da empresa/grupo interessado visando dimensionar o tamanho do programa; selecionar o campo de atuação (definir municípios/comunidades a participar – distância máxima do consumidor);Contatar lideranças locais e apresentar proposta inicial; realizar audiências públicas nas comunidades alvo visando divulgar e esclarecer sobre o programa; entre outros. Edição 2011

 

 

Kinross

Case:Projeto de Revitalização e Preservação de Nascentes na Bacia do Córrego Rico em Paracatu-MG

Cidade: Paracatu

Estado: MG

Responsável: Luiz Antonio Lopes Rodrigues

Cargo: Engenheiro de Meio Ambiente Senior

 

Resumo: Melhoria da qualidade e quantidade hídrica do córrego Rico pertencente a Bacia do Paracatu, contribuindo para a revitalização da Bacia do Rio São Francisco.

Principais benefícios gerados: Trabalho de educação ambiental com 300 produtores rurais e estudantes; Diminuição de enchentes no córrego espalha; Maior infiltração hídrica; Foi verificado após forte chuvas que o córrego não ficou com água turva devido a diminuição do escoamento superficial; Diminuição do assoreamento do córrego; Revitalizadas áreas de pastagens degradadas diminuindo a pressão sobre as áreas de cerrado; Revitalização da mata ciliar; Promoção da revitalização de córregos da bacia do Rio São Francisco.  Edição 2011

 

 

LLX Sudeste Operações Portuárias Ltda

Case: Programa de Relocação Porto Sudeste

Cidade: Rio de Janeiro

Estado: RJ   

Responsável: Marcus Vinicius Ferreira do Nascimento

Cargo: Coordenador de Responsabilidade Social

 

Resumo: Comunicar e envolver a população das comunidades de Vila do Engenho e Ponta da Mariquita, afetadas pela implantação do projeto Superporto Sudeste, no processo de realocação. O projeto foi concebido de modo a compensar e garantir às famílias uma nova moradia em decorrência dos impactos resultantes da construção do empreendimento, além de propiciar as condições necessárias para a reprodução dos vínculos sociais pré-existentes e a recomposição das atividades econômicas. Os resultados, até o momento, foram de um total de 298 famílias, 269 foram realocadas para uma casa de tamanho igual ou superior às de origem.

Além disso, as novas moradias possuem um padrão construtivo superior.

A população afetada teve suas condições pré-existentes reproduzidas e suas atividades econômicas recompostas, o que pressupõe o acesso aos meios de produção, a uma nova moradia, assim como a recomposição do tecido social. Edição 2011

 

LLX Sudeste Operações Portuárias Ltda.

Case: Plano de Investimento Social da Pesca do empreendimento Porto Sudeste, Itaguaí, Rio de Janeiro

Cidade:Rio de Janeiro

Estado: RJ

Responsável: Marcus Vinicius Ferreira do Nascimento

Cargo: Coordenador de Responsabilidade Social

 

Resumo: O movimento da responsabilidade social empresarial estimulou uma abordagem mais efetiva e consistente das empresas na relação com suas partes interessadas. Em decorrência disso, foram desenvolvidas ou ampliadas as iniciativas de diálogo e de parcerias com o objetivo de fortalecer e gerenciar as relações com esses públicos. Nesse cenário, a EMPRESA realiza suas atividades respeitando o meio ambiente, agindo com responsabilidade social e contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico das regiões onde desenvolve seus projetos. O Plano de Investimento Social da Pesca teve como objetivo promover a compensação de potenciais impactos da implantação do Porto Sudeste; atender às condicionantes das licenças ambientais do empreendimento e investir no desenvolvimento sustentável da atividade pesqueira na Baía de Sepetiba. Os principais resultados foram:

– Estreitamento dos laços e diálogo entre empresa e comunidade pesqueira local.

– Início do Plano de Investimento Social da Pesca, com a participação de 11 projetos definidos em parceria com as entidades de classe interessadas.

– Investimento de R$ 2,3 milhões, beneficiando mais de 1,6 mil pescadores.

– Fomento à atividade pesqueira da região.

– Alto grau de poder de replicabilidade do projeto que já vem sendo estudado para implantação em outra região. Edição 2011

 

Pepsico

Case:Gincana Vida Sustentável

Cidade:São Paulo

Estado:SP

Responsável: Cynthia Dalvia

Cargo: Jornalista

 

Resumo: A principal motivação para a realização da Gincana Vida Sustentável foi promover o engajamento das pessoas, para que se tornem cada vez mais conscientes da situação do planeta, que mudem suas atitudes e multipliquem as informações para suas famílias e amigos. A Gincana Vida Sustentável, que ocorreu entre junho e dezembro de 2010, foi divulgada para 20 mil funcionários em sete países da América do Sul: Brasil, Colômbia, Peru, Chile, Argentina, Venezuela e Equador, onde estão localizadas 30 fábricas, 168 centros de distribuição e 5800 rotas. Seu foco foi fazer os participantes contarem suas histórias pessoais de sustentabilidade, detalhando as iniciativas sustentáveis em sua vida pessoal. No total, foram 3,4 mil inscrições para a seleção das dez melhores histórias, que foram filmadas e disponibilizadas para votação aberta ao público interno e externo no site da gincana. Os resultados de votação foram surpreendentes: 13.850 votos distribuídos por 64 países. A gincana mobilizou pessoas nos cinco continentes, que elegeram um funcionário como autor da melhor história pessoal de sustentabilidade. Por meio de iniciativas como esta, a companhia oferece sua parcela de colaboração para o grande desafio desta geração, que é buscar a harmonia no convívio do ser humano com o meio ambiente. Edição 2011

 

Pepsico do Brasil

Case: Display Reciclável

Cidade: São Paulo

Estado: SP

Responsável: Claudia Pires

Cargo: Gerente de Sustentabilidade

 

Resumo: Primeiro display 100% reciclado que usa uma media de 675 embalagens de snacks, retirando-as ou evitando irem ao meio ambiente ou aterros;

Em 2010 foram 35mil displays produzidos equivale a 23,6 milhões de embalagens de salgadinho. Consome media de 10% menos energia na produção de cada display vs display de PP; não consome água potável em sua produção, mas sim água industrial. Benefícios Sociais: além de incentivar a rede de catadores de lixo, na recicladora usa-se detentos em regime de semi-liberdade.

Benefício Econômico: menor tempo de ciclo de produção; cerca de 41% mais barato que reciclar PP e 20% mais barato que reciclar PET. Edição 2011

 

R&A Consultoria e Serviços de Comunicação

Case: Vinte e dois anos de pioneirismo fazendo negócios sustentáveis

Cidade: Cotia

Estado: SP

Responsável: Rogério Ruschell

Cargo: Presidente

 

Resumo: A empresa foi criada em 1989 baseada em uma decisão de foro íntimo de seu fundador, e com uma proposta filosófica: fazer negócios ambientalmente corretos, socialmente justos e economicamente lucrativos. A Missão da empresa é clara: levar os valores ambientais para dentro das empresas, e os valores empresariais para dentro do “movimento ambientalista”, e no plano pessoal, ter a certeza de que o trabalho vai deixar um legado para o futuro.

Em 22 anos de atuação a empresa:

• desenvolveu estudos estratégicos para negócios mais sustentáveis para organizações privadas e públicas como Grupo Suzano, Sociedade Brasileira de Silvicultura, Sapesp, Agfa, ACCE – Associação de Construtores de Centrais Energéticas, WWF Brasil e Socicam;

• ajudou a PricewaterhouseCoopers a formatar Indicadores de Sustentabilidade e Responsabilidade Social Corporativa para o setor siderúrgico brasileiro;

• trabalhou como ombudsman comunitário em projetos de implantações de unidades industriais apresentados em audiências públicas pela Vale, International Paper, Votorantim Celulose e Papel e Veracel;

• colaborou na estruturação de cadeias de suprimentos mais sustentáveis para Volkswagen e Walmart;

• redigiu, editou ou escreveu 16 livros e estudos especializados para organizações como Câmara Alemã, Walmart, editora Europa

• publicou mais de 800 páginas de artigos técnicos

• realizou programas de educação ambiental corporativa para organizações como Grupo Gerdau, Bayer, Unibanco, Goodyear e Votorantim – além da criação do primeiro curso de pós-graduação em sustentabilidade no Brasil, criado em 1995, ESPM-SP. Edição 2011

 

SABESP  – Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo

Case:Programa Abraço Verde

Cidade: São Paulo

Estado:SP

Responsável: Patricia Goularth

Cargo: Atendimento a Clientes

 

Resumo: Queremos contribuir com a sustentabilidade do planeta por meio da união de esforços e talentos múltiplos de representantes de diversos segmentos da sociedade. Promovemos o plantio de aproximadamente 17.000 árvores no entorno das áreas de responsabilidade da Empresa, a parceria com comunidades e outras organizações em prol de causas socioambientais e a redução com as despesas de manutenção das áreas, principalmente calçadas, das instalações da EMPRESA. Edição 2011

 

SABESP – Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo

Case: Programa Córrego Limpo na Unidade de Negócio Oeste – a sustentabilidade de ações socioambientais num contexto corporativo

Cidade: São Paulo

Estado: SP 

Responsável: Luiz de Barros Moreira 

Cargo: Técnico Comunitário

 

Resumo: O presente trabalho tem como origem a expectativa – por parte da Diretoria Metropolitana da SABESP, de contar com o envolvimento da população das áreas das micro-bacias hidrográficas cujos córregos foram alvo de ações do Programa Córrego Limpo que tinham como objetivo a preservação dos mesmos. A criação de um Fórum de Governança Colaborativa foi o meio vislumbrado para isso.

A sustentabilidade de um ecossistema em meio urbano, numa área de franca expansão imobiliária com condomínios de alto padrão sendo construídos no entorno de uma bacia que se busca preservar, apresentou-se então como oportunidade para a conjugação de esforços que voltados para a coleta e tratamento de esgotos, só devem se consolidar com uma participação ativa da população no que diz respeito a conservação de um córrego limpo.

demandas próprias a cada um desses segmentos. Edição 2011

 

Walmart Brasil

Case: Sustentabilidade na Comunicação Visual das Lojas

Cidade: Barueri

Estado: SP

Case: Sustentabilidade na comunicação visual das lojas

Responsável: Tatyane Nunes 

Cargo: Comunicação Externa

 

Resumo: Em 2005 a empresa decidiu pela adoção de um processo de gestão orientado pela sustentabilidade, baseado em três grandes objetivos globais, como forma de crescimento dos negócios e preservação da atividade em um novo ambiente de mercado. São eles: Ser suprido 100% por energia renovável; Ter uma operação com Impacto Zero em termos de resíduos e ofertar cada vez mais produtos com diferenciais de sustentabilidade.

Para atingir seus objetivos a empresa definiu 14 metas para o período 2009-2013 que exigem ações e iniciativas de variados perfis. O projeto de Comunicação Visual é um dos exemplos que mostram que a empresa tem investido em sua operação para torná-la mais sustentável e estar, dessa forma, alinhada com a política global da companhia. Com este projeto tivemos a substituição da comunicação visual convencional para uma mais sustentável, em 208 lojas (aproximadamente 4 milhões de metros quadrados), possibilitou a redução média de 17% no custo do metro quadrado por unidade, evidenciando que pensar nos aspectos ambientais pode ser mais econômico.  Além disso, o projeto teve um papel importante como efeito multiplicador da consciência ambiental entre funcionários e fornecedores, a partir de treinamentos, seminários, consultorias e auditorias proporcionados pelo programa. Edição 2011