Comissão Técnica 2014

Um dos pilares do Programa Benchmarking Ambiental Brasileiro é a sua comissão técnica. O seu formato de composição privilegia a multidisciplinaridade e o envolvimento efetivo de seus integrantes com a temática socioambiental. Compreende nomes consagrados de personalidades e especialistas ligados a entidades de reconhecido valor no Brasil e em outros países. Os critérios de avaliação são transparentes (ver metodologia) e seus membros avaliam a qualidade gerencial das práticas adotadas sem ter acesso ao nome da instituição. Até 2013 o Programa contou com aproximadamente 145 especialistas de 18 diferentes países que trabalharam voluntariamente para a seleção e compartilhamento das melhores práticas de sustentabilidade do Brasil. Para ver as edições técnicas anteriores, clique AQUI

COMISSÃO TÉCNICA 2014 

Em Ordem Alfabética


Click na foto (ou use a barra de rolagem ao lado) para ser remetido ao perfil e depoimento do Jurado Benchmarking 2014


Andrea_vialli

Bryan Husted

Erika_bechara

Andrea Vialli
São Paulo/Brasil
brasil 

Bryan Husted
Toronto/Canadá

flag_canada

Erika Bechara,

São Paulo/Brasil
 brasil

miguel_seabra

 

gabriela_miranda

 

geraldo_falcao

 

Fernando Miguel Seabra

Lisboa/Portugal

flag_portugal

Gabriela Miranda

Bath/Inglaterra

flag_reinounido

Geraldo Falcão

São Paulo/Brasil

 brasil

gilberto_natalini

jorge_queiroz


jamile_cruz


Gilberto Natalini

São Paulo/Brasil

 brasil

Jorge Queiroz

Oslo/Noruega

flag_noruega

Jamile Balaguer Cruz

Brasília /Brasil

brasil

leandro_salvatico

luiz_carlos_merege

luiz_rasquilha

Leandro Peña-Salvático

Washington DC/USA

eua

Luiz Carlos Merege

São Paulo /Brasil

brasil

Luis Rasquilha

São Paulo /Brasil

brasil

mariana_meirelles

nelson_pereira_reis

sylmara_francelino

Mariana Meirelles

Brasília /Brasil

brasil

Nelson Pereira dos Reis

São Paulo /Brasil

brasil

Sylmara Francelino Dias 

São Paulo /Brasil

brasil

 


Para ver os integrantes da Comissão Técnica das Edições Anteriores, clique na edição


edicao_2014 edicao_2013 edicao_2012 edicao_2011
edicao_2010 edicao_2009 edicao_2008 edicao_2007
edicao_2006 edicao_2005 edicao_2004 edicao_2003


Benchmarking Brasil

Comissão Técnica 2014 em ordem alfabética

andrea_vialli
Sustentabilidade é sinônimo de perenidade, de se fazer relevante. Nesse sentido, o Benchmarking Brasil vem mostrar que há instituições trabalhando por esse ideal e se engajando no processo, pois o importante é seguir na jornada.

Andrea Vialli – São Paulo/Brasil

Jornalista que especializou-se na cobertura de meio ambiente, responsabilidade social corporativa e sustentabilidade, temas que acompanha desde 2001. Pós-graduada pela Fundação Dom Cabral em Gestão para a Sustentabilidade e com especialização em Green Economy pelo Schumacher College, do Reino Unido.Trabalhou nos jornais Gazeta Mercantil (2001 a 2004) e O Estado de S. Paulo (2004 a 2011). Foi ganhadora do Prêmio Ethos de Jornalismo nos anos de 2007 e 2008 e do Jornalistas&Cia/HSBC Sustentabilidade em 2013. Atualmente é colaboradora do jornal Valor Econômico e outros veículos como Exame e Folha de S.Paulo, além de realizar consultorias e publicações em comunicação corporativa. Em 2013, lançou o livro “O Azul da Mata Atlântica”, sobre projetos de conservação ambiental na costa brasileira, fruto de uma parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica.

 

Bryan
O duplo desafio das mudanças climáticas, aquecimento global e problemas sociais, exigem atenção imediata dos líderes empresariais que devem procurar aplicar suas habilidades empreendedoras e de gestão, para encontrar soluções de negócios para os nossos urgentes problemas ambientais e sociais.

Bryan Husted – Toronto/Canadá

Presidente do Haub de Negócios e Sustentabilidade da York University (Canadá) e  professor de administração de empresas no Instituto Tecnológico y de Estudios Superiores de Monterrey (México). Atualmente, é presidente da Sociedade de Ética Empresarial. Sua pesquisa se ​​concentra em estratégia empresarial social e programas ambientais voluntários. Seu trabalho foi publicado em várias revistas como Business Ethics Quarterly, Journal of International Business Studies, Strategic Management Journal e Journal of Meio Ambiente e Desenvolvimento.

 

 

erika_bechara
É sabido, repetido e reconhecido que a sustentabilidade deve permear os projetos, as políticas e as ações do setor governamental e do setor privado – em especial do setor produtivo -, para que o país cresça em bases sólidas e, ao mesmo tempo, proporcione a todos os cidadãos os bens de que eles precisam para ter uma vida digna, com qualidade, saúde (física e mental), segurança e bem-estar. O Programa Benchmarking Brasil valoriza essa premissa e estimula que ela saia do plano teórico para a aplicação prática, buscando assim difundir e fortalecer o valor da sustentabilidade e, mais do que isso, associá-lo a resultados concretos.

Premiar as boas iniciativas no campo da sustentabilidade é tornar a própria sustentabilidade mais visível e em consequência criar um cenário favorável para novas iniciativas, num ciclo virtuoso e, se tudo der certo, sem fim.

Erika Bechara  – São Paulo/Brasil

Mestre e Doutora em Direito das Relações Sociais pela PUC/SP; Coordenadora de Comunicação da Associação dos Professores de Direito Ambiental do Brasil – APRODAB; Professora de Direito Ambiental da PUC/SP e da Faculdade de Direito de Sorocaba; Coordenadora-assistente do Curso de Especialização em Direito Ambiental da COGEAE-PUC/SP; Sócia do escritório Szazi Bechara Storto Advogados.    

 

geraldo_falcao
Na sociedade atual uma atuação consciente perante o meio ambiente já não é uma possibilidade mas sim um imperativo. O compromisso de sustentabilidade de uma empresa assim assumido gerará inúmeros benefícios quer para a própria empresa quer para as suas partes interessadas e sociedade em geral. Já o contrário, um menor envolvimento da empresa na procura de soluções sustentáveis colocará em causa o seu próprio futuro e penalizará todos os que dependem daquela atividade empresarial. A imaginação, a reflexão devidamente estruturada e a partilha de conhecimento em ambiente colaborativo poderão assumir-se como caminhos para a sustentabilidade. Nesse caminho para a sustentabilidade que todas as empresas que queiram permanecer úteis à sociedade mais tarde ou mais cedo percorrerão, alguns marcos e sinais poderão ser excelentes instrumentos guia. O Programa Benchmarking Brasil é um destes marcos impulsionadores de avanços para a sustentabilidade e mais um exemplo da importância do Brasil para o mundo”.

Fernando Miguel Henriques Seabra– Lisboa/Portugal

Doutor em Gestão (Universidade de Évora – Portugal), Mestre em Ciências Empresariais (ISCTE – Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa – Portugal) e Licenciado em Organização e Gestão de Empresas (ISCTE). Professor Adjunto do ISCAL – Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa – Instituto Politécnico de Lisboa. Membro efectivo da Ordem dos Economistas (Portugal) – Colégio Especialidade: Economia e Gestão Empresariais.Colabora e participa em diversos projectos e iniciativas no âmbito do tema responsabilidade social. Integra a Comisión de Responsabilidad Social Corporativa de AECA – Asociación Española de Contabilidad y Administración de Empresas (Espanha), a Comissão Técnica 164 de Responsabilidade Social (norma portuguesa de responsabilidade social) e o Grupo de Trabalho ISO 26000 da Rede RSO PT.Autor/co-autor de diversas comunicações e artigos tem participado também na organização de livros e de conferências.

 

geraldo_falcao
A visão estratégica baseada na sustentabilidade e no engajamento de partes interessadas, acompanhada de práticas consistentes e mensuráveis, é central para o sucesso empresarial no longo prazo. Da mesma forma, compartilhar e fomentar melhores práticas nesta área é fundamental neste processo de construção de empresas bem sucedidas em uma economia justa e sustentável.

Gabriela Miranda – Bath/Reino Unido

Atua na área de responsabilidade social empresarial (RSE) há mais de dez anos. Após completar o bacharelado em administração (UFRJ e Université Jean Moulin Lyon III, França), trabalhou como consultora em responsabilidade social, engajamento de partes interessadas, gerenciamento de conflito e desenvolvimento, em diferentes países na América do Sul, Norte e África, principalmente com empresas de petróleo e mineração. Após completar o mestrado em desenvolvimento internacional no Reino Unido, Gabriela trabalhou no Pacto Global das Nações Unidas em distintas áreas da iniciativa incluindo redes locais e relações com governos e com o Conselho. Atualmente, Gabriela está fazendo seu doutorado em responsabilidade social empresarial na University of Bath, na Inglaterra. Suas áreas de pesquisa envolvem RSE em economias emergentes de países em desenvolvimento, influências institucionais em RSE e participação empresarial em iniciativas voluntárias de responsabilidade social.

 

geraldo_falcao
A sustentabilidade é o estado de melhoria contínua da Responsabilidade .  Não há de se falar em sustentabilidade, sem que sejamos minimamente responsáveis. E o nível da Responsabilidade empresarial, são as partes interessadas que avaliam e julgam , mediante ao valor entregue a sociedade.

Geraldo Falcão – São Paulo/Brasil

Administrador de Empresas, Pós-graduado em Qualidade e produtividade pela USP, em Gestão Ambiental e segurança do trabalho pela Escola de Saúde pública da USP, e em Administração de Marcas pela FAAP. Auditor credenciado por mais de 7 anos por órgãos como IRCA(Inglaterra), RAB/QSA(EUA), SAI(EUA) e Inmetro(Brasil) em normas como ISO9001,ISO14001,OHSAS18001, SA8000 ,NBR16001 e ISO26001. Consultor empresarial da empresa Marcasbrasil Consultoria, desde 1998 em temas Gestão da Sustentabilidade, Gestão de projetos, Gestão Ambiental e Responsabilidade Social Corporativa. Professor convidado da Fundação Getúlio Vargas, em cursos de MBA e Pós graduação em disciplinas como : Gestão ambiental e Desenvolvimento sustentável, Gerenciamento de projetos, Análise de viabilidade de projetos, Produção/qualidade e Responsabilidade Social Corporativa.

 

gilberto_natalini
Plantando meio ambiente e colhendo vida saudável.

Gilberto Natalini – São Paulo/Brasil

Médico Cirurgião Geral, formado pela Escola Paulista de Medicina em 1975. É especialista em Gastrocirurgia e membro titular do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva. Há mais de 15 anos exerce atividade política e já ocupou diversos cargos na administração pública. Vereador  em seu 4o mandato  na Câmara Municipal de São Paulo. Neste período apresentou 197 Projetos de Lei e aprovou várias Leis de impacto para a cidade de São Paulo. Idealizador e realizador da Conferência Produção Mais Limpa. São Paulo/SP.

jorge_queiroz
Enquanto a Revolução Industrial gerou grandes benefícios  não ha duvida que impôs gigantesca destruição ao meio ambiente com acentuadas mudanças climáticas, exaustão dos ecossistemas,  destruição da biodiversidade, emissão e acumulação de dióxido de carbono e todos os danos resultantes.  A conscientização da população, juntamente com as inúmeras e mais diversas iniciativas em andamento a nível mundial na obtenção de um desenvolvimento responsável e sustentável são fatos extremamente alentadores e sem duvida podem reverter o quadro dramático em que nos encontramos.  O Programa Benchmarking Ambiental Brasileiro vem dando importante contribuição nessa direção, estimulando a pratica de excelência socioambiental  em nosso pais.”

Jorge Queiroz – Oslo/Noruega 

Expert Internacional em Assuntos Ambientais das Nações Unidas. Engenheiro, pós-graduado em Sistemas Marinhos, Sistemas Dinâmicos, Negócios, Economia e Direito Internacional, incluindo direitos humanos e meio-ambiente pela Marquette University/EUA, Massachusetts Institute of Technology/EUA, FGV e University of Bergen/Noruega, com mais de 35 anos de experiência no Brasil e exterior.  Uma das maiores autoridades em gestão,  revitalização e recuperação de grandes casos empresariais envolvendo USD bilhões, atuando como presidente e membro do conselho. Fundador e presidente de diferentes ONGs. Recebeu diferentes premiações e reconhecimento publico por suas realizações profissionais, entre as quais, Prêmios de Empresa do Ano, Empresário do Ano e Destaque Empresarial. Palestrante convidado em congressos e seminários no Brasil e exterior para investidores, empresários, bancos, advogados, juízes, acadêmicos, pesquisadores e estudantes. Pesquisador e autor de inúmeras publicações especializadas e livros técnicos. 

jamile_cruz

É muito claro que a Sustentabilidade evolui de Tendência a Regras há algum tempo. Podemos perceber como consumidor, empresário, governante, estudante… como um próprio cidadão. O Programa Benchmarking é uma prova desta consciência no mundo empresarial que mostra o nascimento das Boas Práticas Sustentáveis, e nos dá a oportunidade para a multiplicação deste conhecimento. Parabéns ao Programa. 

 

 

 

 Jamile Balaguer Cruz – Brasília/DF

 

Especialista em estratégia e sustentabilidade pela HEC School of Management (Paris/França) e pela FGV SP. Consultora em Educação Ambiental e Planejamento para Negócios Sustentáveis, Sócia-Diretora GAEA SUSTENTÁVEL e Diretora de Eventos da Abraps

 

leandro_salvatico
Compartilho da visão de que o funcionamento econômico da humanidade no futuro dependerá inteiramente da radiação solar e que iremos reciclar absolutamente todos nossos produtos após o seu consumo, sejam eles vegetais ou minerais. Por conta disso, os processos produtivos operarão num ciclo fechado, termodinamicamente mais eficientes que os processos atuais e todos os recursos minerais serão elevados à categoria de renováveis, dada a sua reciclabilidade infinita.

Leandro Peña Salvático – Washington DC/ USA

Engenheiro Bioquímico; Consultor especializado em Mudanças Climáticas, Carbono e Energias Renováveis; Membro do Comitê ABNT que desenvolveu a norma ISO 15.498:2011 para o mercado de carbono voluntário brasileiro; Desenvolvedor de projetos para quantificação e redução das emissões de gases de efeito estufa em diversos setores industriais; Fundador & CEO da SusTech, empresa que atua no desenvolvimento de projetos de geração de energia renovável e eficiência energética, visando a redução de custos operacionais e da pegada de carbono empresarial.

 

luiz_carlos_merege
A sustentabilidade é o caminho para a transição da prevalência do capital para uma sociedade onde o ser humano e a natureza se tornarão a razão de nossa vida social.

Luiz Carlos Merege – São Paulo/Brasil

Economista; doutor e mestre pela Maxwell School of Citizenship and Public Affairs da Universidade de Syracuse, NY. Foi professor Titular do Departamento de Planejamento e Análise Econômica – PAE da FGV SP, onde criou  o Centro de Estudos do Terceiro Setor – CETS da FGV-EAESP, iniciativa pioneira no Brasil, nas áreas de ensino, pesquisa, formação profissional e assessoria às organizações do terceiro setor. Foi diretor do programa de cursos de captação de recursos oferecidos em parceria com a Escola de Captação de Recursos da Universidade de Indiana, na FGV-EAESP. Em 2009 criou e fundou o IATS – Instituto de Administração para o Terceiro Setor, do qual é Presidente.

 

luiz_rasquilha
Para responder ao futuro as empresas necessitam não apenas se reinventar permanentemente mas levar em conta o ambiente que as rodeia. A eficácia nos negócios passa pela adoção da Tendência de Ecosustentabilidade, não apenas como discurso mas também como prática enraizada no DNA.

Luiz Rasquilha – São Paulo/SP

CEO da AYR Consulting Worldwide, Head do Future Advisory Board e Professor convidado em Business Schools e Universidades na Europa e América do Sul.  Autor de inúmeros livros na área da comunicação e inovação empresarial. 

 

Mariana_Meirelles
Um mundo mais sustentável é um mundo que respeita os limites do planeta e assegura qualidade de vida para todos, de forma equilibrada e equânime. Para tanto, precisamos provocar uma mudança substantiva nos padrões de produção e consumo no Brasil e no planeta. Todos nós somos responsáveis por essa construção e já passou da hora de começar: a urgência é a palavra chave nesse processo!.

Mariana Meirelles – Brasília/Brasil

Administradora de Empresas com longa experiência junto a questões estratégicas e de planejamento.  Trabalhou na Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), foi diretora de Gestão e coordenadora Nacional do Programa Gespública na Secretaria de Gestão do MPOG, e ocupou a Diretoria de Programas na Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE/PR). Foi gerente de programas na Gestão Estratégica na Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos, também do Ministério do Planejamento e diretora vice-presidente do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS). Participava da Rede de Mulheres Brasileiras Líderes pela Sustentabilidade, iniciativa do MMA que visa estimular ações de sustentabilidade entre mulheres que atuam na liderança de instituições, e desde maio de 2013 é a Secretária de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental do Ministério do Meio Ambiente.

 

nelson_pereira
A Desigualdade é Insustentável (documento Fiesp – Federação das Indústrias do Estado de SP/Firjan – Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, apresentado na Rio+20).

Nelson Pereira dos Reis – São Paulo/Brasil

Vice-presidente da Fiesp – Federaçãodas Indústrias do Estado de São Paulo, diretor titular do Departamento de Meio Ambiente da entidade e membro do Conselho Estadual de Meio Ambiente do Estado de São Paulo (Consema). Engenheiro formado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) com cursos de pós-graduação em Economia e Administração, Nelson Reis presidiu a Copebrás, empresa do grupoAnglo American, de 1991 a 2006. Foi vice-presidente executivo e presidente executivo da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim) de 2007 até 2010.  É o atual presidente do Sinproquim –Sindicato das Indústrias de Produtos Químicos para Fins Industriais e da Petroquímica do Estado de São Paulo. Atua empresarialmente no setor de Florestas Plantadas.

 

sylmara_francelino
A temática da Sustentabilidade apresenta crescente interesse das organizações públicas e privadas, ocupando cada vez mais a agenda de dirigentes e colaboradores. Ao mesmo tempo seu entendimento e operacionalização revela grande complexidade prática e teórica. Faz-se necessário ampliar a discussão sobre  as práticas e as estratégicas das organizações, refletida nas atividades de produção e consumo, na publicidade, nos produtos e serviços ofertados. Enfim, entender as dificuldades e o potencial de mudança no cotidiano das empresas, é um grande desafio.

Sylmara Lopes Francelino Gonçalves Dias – São Paulo/Brasil

Professora Doutora da Escola de Artes Ciência e Humanidades, Universidade São Paulo. Orientadora do Programa de Ciências Ambientais (PROCAM-USP). Doutora em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas SP. Doutora em Ciência Ambiental pela Universidade de São Paulo. Mestre em Administração pela Universidade de São Paulo. Graduada em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais e em Pedagogia pelo Instituto de Educação de Minas Gerais. Pesquisadora visitante Loughborough University (2012), San Diego University (2013). Secretária Executiva da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Ambiente e Socidedade ANPPAS (2012-2014). Membro da Rede de Pesquisadores em Gestão Social (RGS). Membro do Laboratório de Sustentabilidade em TIC da Escola Politécnica da USP. Membro do Conselho Editorial: Cadernos EBAPE, Cadernos de Gestão Social, Nau Social, Revista Eletrônica Economia e Gestão. Exerce atividades de assessoria científica para principais agências de fomento brasileiras: CNPq, CAPES, FAPESP (áreas Administração e Interdisciplinar). Avaliadora de artigos científicos para periódicos e congressos (nacionais e internacionais). Tem experiência na área de Administração, com ênfase nos seguintes temas: planejamento estratégico, organizações e sociedade. Gestão de politicas publicas, sustentabilidade, gestão socioambiental, produção-consumo e meio ambiente.