Crise hídrica motiva jovens talentos a criarem APPs para economia de água no Programa Benchmarking Brasil

HACKATHON_GERAL_JOVEM

Os projetos foram selecionados pelo Programa Bechmarking Brasil que contou com jurados do Google, Intel e profissionais da sustentabilidade

Com a crise hídrica instalada em cerca de 11 estados brasileiros, nada melhor do que o uso de aplicativos mobile para ajudar a controlar o consumo de água. Por isso, o Programa Benchmarking Brasil, considerado o mais respeitado selo socioambiental do país, lançou o Hackathon Mais da Sustentabilidade em parceria com cursos de Tecnologia da Informação das universidades Anhembi Morumbi e Uninove. O objetivo é incentivar e reconhecer o talento de jovens designers e programadores que, com seus aplicativos, ajudam a construir uma nova consciência e cultura em relação aos desafios socioambientais de nossa época.   O Programa recebeu cerca de 10 projetos de aplicativos com foco no suporte ao uso racional da água, reconhecendo cinco deles. Representantes das empresas Google e Intel fizeram parte da comissão técnica que avaliou os aplicativos.

O aplicativo Level Up+, criado por Erico Luiz Frank, 19 anos, e Rodrigo Silveira Dias de Lima, 30 anos, alunos da Uninove, foi o grande vencedor pelo júri técnico. Level Up+ aposta no poder das mídias sociais já que os usuários postam fotos de vazamentos de água em vias públicas, pessoas lavando carros, calçadas etc. As fotos terão um geolocalizador de onde foi tirada ajudando os funcionários da rede de saneamento básico da cidade identificar e solucionar rapidamente o problema. “Nossa ideia é trazer a responsabilidade social não apenas às empresas de saneamento básico, mas para o público em geral, para que atuem como vigilantes. Ele ajuda a passarmos pela grave crise hídrica, aliando rapidez e o alcance das mídias sociais”, explica o universitário Érico Luiz Frank.

Reconhecido pelo voto popular, o aplicativo auxilia no consumo inteligente de água para irrigação, uma das principais formas de desperdício do recurso no mundo que chega a 70%. Segundo seu criador, Fabrício Tenaglia, 23, da Anhembi Morumbi, o app calcula a quantidade de litros de água necessários para irrigar uma determinada área da propriedade, ajudando o produtor rural a usar o recurso de forma mais racional, evitando desperdícios, porém mantendo a produtividade. De acordo com José Valdvogel de Almeida, professor do curso de Engenharia de Software da Anhembi Morumbi, o desperdício de água é um problema socioambiental com consequências graves para o meio ambiente. “O programa Hackathon MAIS transporta os estudantes do âmbito acadêmico para tratar essa problemática por meio de ideias inovadoras e aplicáveis”, complementa.

LevelUP_EDIT APP_release_1_27_7_15

 

Os demais aplicativos selecionados respectivamente como terceiro, quarto e quinto lugares foram:

– Mizu (água em japonês), dos alunos da Uninove. Ele é um jogo eletrônico para Windows e Android voltado para o público infantil com o objetivo de ensinar as crianças a utilizar corretamente a água. Nele, o jogador assumirá o papel do personagem Mizu, que precisa descobrir o motivo do rio estar secando ele andará pela cidade em busca de vazamentos e desperdícios. O jogador terá que reverter esse quadro para evitar que o rio desapareça e a vida da região seja extinta.

– Ponto Falho é uma ferramenta fácil para ajudar a população a fiscalizar problemas de desperdício de água em vias públicas. Bastam três toques na tela do celular para fotografar o problema e informar o poder público. O aplicativo também pode elaborar relatórios diários sobre quantidade de pontos de desperdício de água (vazamentos etc); e ajudar na melhoria de controle das autoridades e participação da sociedade de forma rápida e eficaz. “A proposta é que cada denúncia se transforme em um chamado de atendimento e transforme o cidadão em um agente fiscalizador”, explica o aluno Igor Siqueira, 22 anos, da Universidade Anhembi Morumbi. Pelo aplicativo, a população pode ainda monitorar o tempo médio gasto pela empresa de distribuição de água para consertar o vazamento e a quantidade de pontos de desperdício em toda a cidade.

– Reuso de águas para plantas, de autoria do aluno Claudeiton Brito Dias, da Uninove, é um app que orienta como utilizar a água da chuva, do banho ou da máquina de lavar roupas para ser reutilizada para regar as plantas domésticas e evitar desperdícios sem prejudica-las. O app traz ainda dicas de como armazená-la.

HACKATHON_EDIT_P hackathon_backdrop_p

Sobre o Programa Benchmarking Brasil

Em 13 edições já realizadas, o Programa Benchmarking Brasil se consolidou como um dos mais respeitados Selos de Sustentabilidade do país. Com uma metodologia estruturada, reconhecida pela ABNT, e participação de especialistas de vários países, o Ranking Benchmarking define e reconhece os detentores das melhores práticas de sustentabilidade do Brasil.  O objetivo é divulgar Exemplos que educam e Práticas que transformam. Ao todo, o Programa já reconheceu 339 casos de boas práticas de sustentabilidade, 36 projetos de inovações verdes, além das obras artísticas e homenagens a pessoas que fazem a diferença nessa área. O programa, além do Ranking congrega outras ações de fomento a sustentabilidade como publicações, banco digital de livre acesso, encontros técnicos, feiras e congressos, entre outros. Além de incentivar a busca da melhoria contínua e a adoção das boas práticas nas organizações, o Programa Benchmarking Brasil contribuiu ao longo destes 13 anos de forma efetiva com a construção de massa crítica em sustentabilidade no país. Em 2013, Benchmarking Brasil foi o grande vencedor (1º colocado) na categoria Humanidades do Prêmio von Martius de Sustentabilidade da Câmara de Comércio Brasil Alemanha.

São Paulo, 27 de julho de 2015.

Assessoria de Imprensa Instituto Mais

Regina Pietscher

regina_pietscher@institutomais.org
(11) 2959-5442 / 11 – 98924-1086