Não se pereniza o que é insustentável

chaveiroA perenidade de um negócio é o maior dos desafios para qualquer empreendedor. Fundamentos e técnicas de gestão preparam times e líderes para acirrados combates do mercado. Sobreviver e se manter perene não é fácil, nem para todos.

Até aqui, nada de novo. Porém quando aprofundamos nosso olhar sobre fundamentos da perenidade, identificamos convergência com os princípios e diretrizes da sustentabilidade.  

Para ilustrar um pouco mais, destaco algumas situações em rota de colisão com os princípios da sustentabilidade, e por consequência, deixando mais distante a tão sonhada e necessária perenidade de um negócio (médio e longo prazo).

A dependência de matérias primas não renováveis ou poluidoras, as consequências de uma postura de isolamento que pode resultar na rejeição da comunidade (cientifica ou local), um “modus operandi” percebido como “não amigável” aos ambientes social e ambiental, a resistência ao diálogo ou a conformidade de normas e certificações, a falta de sensibilidade e pro-atividade para com questões importantes da sociedade do seu tempo e local, entre outros.

Tais situações prolongadas por algum tempo, construirão uma reputação nada agradável em relação a uma organização com tais práticas e posicionamentos. Certamente um ambiente constrangedor surgirá incomodando quem se relaciona com ela, quer seja, cliente, fornecedor, legislador, comunidade.  Deste ponto, para insegurança e desmotivação nas relações é um pulo. E as consequências, previsíveis e desnecessários aqui relatar. Poderá até sobreviver, mas pagará um alto preço para reconquistar a confiança e a estabilidade nas relações, condição sine qua non para a perenidade de um negócio.  

Sustentabilidade é, portanto, parte da estratégia das organizações perenes. Tem seus componentes baseados na racionalidade e na inteligência de uma gestão que opta pelas boas práticas. Pois sabem que serão elas (as boas práticas) que imunizarão a organização dos ataques que colocam em risco sua longevidade. Simples assim.

Benchmarking Brasil – Um programa de valorização das boas práticas de sustentabilidade, e de quem trabalha com elas  

O Programa Benchmarking realizou sua 1ª edição em 2003 e pela seriedade e formato inovador tornou-se um dos mais respeitados Selos de Sustentabilidade do País. Hoje com 1 modalidade âncora e 5 modalidades paralelas é o mais legítimo dos movimentos de sustentabilidade pela pluralidade de vozes que congrega. Empresas, Universidades, Escolas Técnicas Profissionalizantes, Órgãos e entidades representativas e governamentais, Artistas, Personalidades, e mídia especializada fazem parte da iniciativa que está em sua 15a edição. 

A metodologia de seleção e certificação do Programa Benchmarking tem o reconhecimento da ABNT. Em 2013, Benchmarking Brasil foi o grande vencedor (1° colocado) na categoria Humanidades do Prêmio von Martius de Sustentabilidade da Câmara Brasil Alemanha. É considerado a fotografia da gestão socioambiental brasileira registrando seu nível de maturidade e evolução em sustentabilidade. 

O Programa Benchmarking já certificou 356 práticas de 186 instituições de 26 diferentes ramos de atividades. Com aproximadamente 200 especialistas de 21 diferentes países participando da comissão técnica, o programa se tornou uma plataforma de inteligência coletiva em sustentabilidade trabalhando com diferentes públicos para fortalecer o movimento das boas práticas junto a sociedade brasileira. 

Todo este conhecimento aplicado produzido pelos especialistas atuantes em sustentabilidade são compartilhados em publicações especializadas e eventos técnicos. Além do Banco Digital de boas práticas disponível na internet com grande visitação, mais de 60 encontros técnicos já foram realizados. 03 livros publicados (BenchMais 1, 2 e 3) e 12 edições veiculadas da Revista Benchmarking (versões eletrônica e impressa) distribuídas gratuitamente para público atuante e interessado nesta temática. 

A XIV edição do Programa Benchmarking Brasil contou com importantes apoios. São eles: Apoio Institucional: TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) e do IAPMEI – Parcerias para o crescimento do ministério de economia do governo de Portugal. Apoio Divulgação: Envolverde, Pensamento Verde, Acionista, RSOPT (Rede de Responsabilidade Social das Organizações de Portugal), e Revista Meio Ambiente Industrial. Apoio Acadêmico: Escolas Profissionalizantes Centro Paula Souza, IFSP e Senai SP, e, Universidades Anhembi Morumbi, Uninove e Mackenzie. O XIV Bench Day, se realizou nos dias 29 e 30 de junho de 2016 no Hall Nobre e auditório do Tribunal Regional Federal da 3a Região – Av. Paulista, 1842 – 25o andar, em São Paulo/SP.

 Inscrições de cases para a XV Edição: 24 de janeiro a 31 de março de 2017.

Mais informações, visite     TOP FIVE

São Paulo, 31 de janeiro de 2017

www.benchmarkingbrasil.com.br

(11) 3257-9660 / 3729-9005