Resumo da Edição 2005

Edição 2005    
 


Abertura Oficial
      3º Benchmarking Ambiental Brasileiro
28 de Setembro de 2005 – Auditório SESC Paulista
 

Programa Benchmarking mostra sua força integrando setores e segmentos para compartilhar as boas práticas gerenciais  

 

Em sua terceira edição, o Benchmarking Ambiental Brasileiro é um marco no crescimento e maturidade da gestão ambiental no país.

 

Os indicadores e modus operandi dos 24 cases vencedores deste ano revelam as melhores soluções adotadas para enfrentar os desafios do gerenciamento ambiental responsável e competitivo.

 

O Benchmarking Ambiental Brasileiro é uma iniciativa inovadora da Mais Projetos Gestão Sócioambiental, que seleciona, premia e, principalmente, compartilha o conhecimento que está por trás das melhores ações sócioambientais protagonizados por empresas, organizações da sociedade civil e governo em várias regiões do país.

 
   
   

Histórico e Objetivos

 

O Benchmarking Ambiental Brasileiro foi lançado em 2003, após uma pesquisa realizada com aproximadamente 300 empresas onde constatamos instituições com estrutura e processos definidos de atuação ambiental, e deste universo pesquisado, 89% confirmavam interesse pela ferramenta benchmarking .

 

A partir desse resultado, nasceu o prêmio com o propósito de viabilizar essa prática gerencial baseada no acesso compartilhado e democrático do conhecimento ambiental aplicado em ações de melhoria contínua com resultados comprovados para a empresa, comunidade e meio ambiente natural, ou seja, ações bem sucedidas e compromissadas com os princípios da sustentabilidade.

 

Identificar as melhores práticas nesta área, premiar esses cases e revelar sua fórmula de sucesso para torná-los exemplos a serem seguidos é o objetivo principal do Benchmarking Ambiental Brasileiro , iniciativa pioneira que este ano alcança sua terceira edição. 

     

Mudando hábitos e quebrando paradigmas:

 

Um conjunto de fatores define uma identidade única para o prêmio Benchmarking Ambiental Brasileiro. A começar pelo nome, que valoriza uma ferramenta de gestão especifica, e já no nome, informa o principal objetivo: compartilhar para desenvolver.

 

E Não para aí. Modifica o formato tradicional de premiações e constrói um ambiente amigável para a troca de experiências e compartilhamento do conhecimento aplicado nas organizações, até então pouco praticado no país.

 

Comprova que a produção do conhecimento não está restrita às universidades e que também pode ser construído nas organizações.

 

Reconhece todos os selecionados como vencedores e não apenas um, o primeiro lugar, como culturalmente estamos acostumados a ver e esperar nas premiações.

 

Define uma comissão técnica multidisciplinar com representantes dos vários setores da sociedade e, assim, evita uma visão unilateral e comprometida.

 

Cria uma proposta capaz de integrar diferentes setores, segmentos, ramos de atividade e porte em torno de um objetivo comum.

 

E, principalmente quebra paradigmas quando comprova que a identificação e produção desta dinâmica, pode ser realizada por iniciativas simples e independentes como o próprio Benchmarking Ambiental Brasileiro .

 

Todos ganham, e o beneficiário maior é a sociedade brasileira, que pode conferir os indicadores e a metodologia das ações ambientais de instituições modernas e comprometidas com a melhoria contínua, a responsabilidade social e o desenvolvimento sustentável.

 

 
Apresentação Case 
 
 
Mesa Diretora 

 

 
Comissão  
 
Troféus e Diplomas  
 
Apoiadores  
 
Premiação
 
 
Público Presente  
Números, critérios e resultados da edição 2005  
   

A iniciativa chega à sua terceira edição com a adesão dos três setores da economia – governo, iniciativa privada e sociedade civil.

 

Tivemos 7 estados brasileiros, 35 apoiadores, 1 patrocinador, 8 integrantes na Comissão Técnica e 24 cases vencedores nas áreas de Recursos Hídricos, Resíduos, Reflorestamento, Reciclagem, Educação e Informação Ambiental, entre outros. Estes são dados que confirmam a abrangência, importância e adesão a iniciativa.

 

Os cases vencedores foram aqueles que apresentaram eficácia e inovação nas soluções adotadas para enfrentar os desafios do gerenciamento ambiental responsável e competitivo.

 

Ações que comprovaram benefícios à instituição, à comunidade e ao meio ambiente natural, e que estão alinhadas com as três dimensões da sustentabilidade: a econômica, a social e a ambiental. 

 
Abertura Premiação
 
 
Platéia Atenta
 
 
CD Rom Case  
 
Vencedores  
 
 

                      O Crescimento

 

O Prêmio Benchmarking Ambiental Brasileiro em seus três anos de vida, já selecionou e premiou 58 cases vencedores de 10 estados diferentes. É hoje um banco de práticas de sucesso, representadas pelos cases vencedores, referências nacionais em se tratando de boas práticas gerenciais. Teve neste período a colaboração de 19 profissionais atuantes e comprometidos com a temática ambiental em sua Comissão Técnica , apoio e patrocínio de reconhecidas instituições representativas e associativas sensíveis à questão ambiental e, desta forma, está contribuindo efetivamente para tornar os princípios e objetivos da sustentabilidade mais próximos de nossa realidade nacional.

E-Group Bench

 

Para continuidade da prática Benchmarking Ambiental, foi criado o e-group “BENCH”, um grupo fechado que discute temas atuais, compartilha experiências e informações sócioambientais, além de divulgar e circular artigos, clipping e noticias pertinentes ao gerenciamento ambiental. Este e-group é fechado a participação dos representantes dos “cases vencedores” e Comissão Técnica 2003/2004 e 2005. Mais informações, click: www.grupos.com.br/grupos/bench

 

 
 

Comissão Técnica Validadora – Edição 2005

Avaliados por uma Comissão Técnica especializada e multidisciplinar, os Cases Vencedores receberam a certificação referente as suas categorias, no dia 28 de setembro de 2005 em evento corporativo no auditório SESC PAULISTA – Av. Paulista, 119 – São Paulo/SP.

 

Presentes a solenidade de apresentação e premiação, personalidades públicas, especialistas e profissionais renomados do mundo corporativo, além de mídia especializada e de massa, e seleto público de aproximadamente 200 pessoas. 

 COMISSÃO TÉCNICA 2005

Arnaldo Jardim – Deputado Estadual, Coordenador da Frente Parlamentar pela Energia Limpa e Renovável e Presidente do Grupo de Trabalho de Resíduos Sólidos no Estado de São Paulo, responsável pela elaboração do Projeto de Lei que institui a Política Estadual de Resíduos Sólidos.
Celso Atienza – Vice-Presidente SEESP – Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo.
 
Denise S. Baena Segura – Coordenadora do Programa de Meio Ambiente do Sesc São Paulo.
 
Edmilson Costa – Coordenador do Curso de Economia da UNIFMU – Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas
 
Jacques Demajorovic – Coordenador do Bacharelado em Gestão Ambiental do Centro Universitário Senac
 

Marcos Domingos da Silva – Presidente ABHO – Associação Brasileira de Higienistas Ocupacionais

 
Mauro Daffre – Presidente ABPA – Associação Brasileira de Prevenção de Acidentes e Diretor de Meio Ambiente da CIESP
 
Simone Silva Jardim – Jornalista com pós-graduação em Educação Ambiental e advogada.

Bench Day Edições: