obras e artistas

I BENCHMARKING DAS ARTES

OBRAS & ARTISTAS

 

CONSUELO

AMOR DE MÃE PARA O PLANETA

Autor: Consuello Matroni

Técnica: colagem de papelão, jornais, papéis, ferro e PVC

Descrição da obra:

Escultura de mulher, feita em materiais reciclados como: jornais, papel Kraft, papelão, cartelas de papelão p/ ovos, cola branca, base de ferro reutilizado e pedaço de cano PVC.  

 

Consuello Matroni é Artista, estilista, artesã, ambientalista, educadora, divulgadora e incentivadora da reciclagem por meio de desfiles com roupas recicladas, mostras, oficinas, palestras e confecções de trabalhos especiais. Chama atenção para o problema do lixo e a necessidade de reutilizá-lo e reciclá-lo. Ensina as pessoas a reutilizar materiais para geração de renda. Faz trabalhos em empresas, escolas, Ongs, prefeituras, feiras e eventos sempre pensando em colaborar com o meio ambiente e incentivando as pessoas a ter essa consciência. Utiliza materiais como embalagens plásticas de shampoo, desinfetante, tubo de creme dental, fita de vídeo VHS, garrafa Pet, chapas de radiografias e muito mais. Tem uma rede de fornecedores desses materiais, sua casa, parentes, amigos, vizinhos, cooperativas e entidades. https://www.facebook.com/consuello.matroni

 


 

JUAREZ

MULHER GRAVIDA

 

Autor: Juarez Martins

Técnica: sucata de ferro e arame

Descrição da obra:

Escultura feita com materiais reciclados com: sucata de ferro e mola de aço.

 

Juarez Martins dos Anjos é Arte educador, coordenador de Oficinas Culturais;

  • Desenho artístico e Publicitário;
  • Pintura óleo s/tela;
  • Elaboração de Projetos Artísticos;
  • Projeto e produção de Monumentos.
  • IBIM – Formação e Capacitação do Fórum Cultural;
  • Elaboração e Confecção do Troféu da Corrida de São Silvestre (O Marco da Paz);
  • Participação junto a USP como especialista Pela FIPE- Fundação e Instituto de pesquisas Econômicas para a atualização do Glossário do Artesão (CBO)-Classificação Brasileira de Ocupação artesão escultor,
  • Monitoramento, Projeto Santeiros e Entalhes de São Miguel Paulista; 
  • Execução de Troféu Concurso Nacional Literário (Bar do Escritor);
  • Projeto Usina de Ideias SESC SP. (utilizando resíduos sólidos).
    • Desenho Artístico e publicitário – IUB

MARCILIO

VAMOS NÓS AO VOSSO REINO

 

Autor: Marcílio Braga Fernandes

Técnica: cacos de cerâmica e azulejos sobre MDF

Dimensões: 1,00 x 0,70cm 

Descrição da obra:

Mosaico feito de sobras de cacos de cerâmica e cacos de azulejo. 

 

Marcilio Braga Fernandes é natural de Barbacena – Minas Gerais – nascido em 23 de outubro de 1967.Após demitir-se do Instituto Mineiro de Agropecuária, iniciou na área de preservação ambiental, na cidade de São José dos Campos –SP, onde passou a desenvolver um gosto pelo paisagismo e jardinagem.Depois de sair do interior de São Paulo, foi morar na cidade de Rio das Ostras – RJ, também como técnico em agropecuária na preservação ambiental. Lá começou por intermédio de um amigo Valdenir, a aprender a técnica de mosaico, como uma oportunidade de aumento de renda. Um cliente o chamou para fazer um trabalho de paisagismo em sua residência. Solicitou a arte de mosaico em um piso no jardim.De lá pra cá, trabalha com as duas coisas praticamente unidas. Em 2009, através de um amigo, Lula Hime, aceitou o convite de vir para São Paulo, para mostrar o seu trabalho. Já participou de feiras, exposições, programa de TV de internet e tem trabalho publicado na revista Casa e Decoração. Ministra aulas particulares de mosaico e vende seus trabalhos para todo Brasil. www.marciliomosaicos.carbonmade.com 


 

OSWALDO

SERPENTE DO PARQUE ECOLÓGICO

 

Autor: Osvaldo Oliveira

Técnica: pintura e colagem no jornal sobre papelão

Descrição da obra:

Peça feita em papelão revestido c/ jornal tendo como acabamento arte em cubismo.

 

Osvaldo Oliveira é Arte Educador, Artesão e Artista em pintura Autodidata.

Atividades:

2012- Lançamento oficial do livro: “Reciclando com Arte”

2011- Encontros de professores em Tatuí

2011- FIBoPS

2010- Viva Mata

2010- FIBoPS

2009- Fenatrans;

2007/ 2008/2009 Mega Artesanal;

2006 – Fimai

www.reciclandocomarte.com.br


PATTY

POISEDONS

 

Autor: Patty Peppe

Técnica: mista: aquarela, tinta de pó de café reutilizado + óleo de cozinha e purpurina..

Dimensões: 1,80 x 1,90cm

Descrição da obra:

Obra feita c/ material reciclado como: madeira tirada de caixas de mudança e pintura com tinta desenvolvida pela própria artista, onde reutilizou pó de café e o óleo de cozinha.

 

Patty Peppe é Brasileira, artista e artesã. 

Atividades:

Exposição Individual 22/06/2012 – 29/06/2012:

Casulo Mundo na Kabul;

Exposição Individual 05/04/2012 – 05/05/2012:

Casulo Mundo no Bardo Batata;

Estágio de Observação – Didática do Ensino Superior –

09/2010 12/2010 Faculdade Espm – SP;

Expositora do Projeto Virando do Avesso 2011: Nem tudo

acaba em Pizza; FIBOPS e Bar do Batata;

Expositora de reproduções de Arte na Galeria Alma do Mar,

São Paulo;

Fuzarca Amostra, 2009 – Exposição Fotográfica.

www.pattypeppe.com


RODRIGO

AVIÃO, GAIOLA E CADEIRA

 

Autor: Rodrigo Machado

Técnica: monotopia e madeira

Dimensões: 0,40 x 0,40 x 1,50cm

Descrição da obra:

Obra proveniente de refugo industrial e construção civil.

 

Rodrigo de Morais Machado é formado em Licenciatura e Bacharelado em Artes Plásticas, FAAP.1996.

Exposições:

2012– Te mataria começar a fazer isso ? – Kunst Halle SP, Projeto Serviços Gerais;

2011– Nômade – QAZ Street Art ,São Paulo/SP (www.qazstreetart.com);

2011- Curto Circuito Impossível – Laboratório das Artes ,Franca/SP;

2004– Mandalas ,Bilblioteca Francisco Pati ,Vila Romana ,São Paulo/SP.

Coletivas;

2013– I Coletiva 2013 – QAZ Street Art;

2012-Primeira Coletiva –Oficina Cultural Oswald de Andrade, São Paulo/SP;

-Virada Cultural , São Paulo/SP – projeto Urban Trash Art;

2011– I Mostra de Arte e Meio Ambiente – Museu de artes Luiz de Queiroz ,Piracicaba/SP;

2011–Trash Art RRRRR Trash Art Festival – WhipperSnapper Gallery, Toronto/ Canadá , Projeto Urban Trash Art;

– Ser “Hurbano” ,QAZ Street Art ,Higienópolis , São Paulo/SP;

– I Virada Sustentável de São Paulo, Mis (Museu da Imagem e do Som) / Parque Villa Lobos ,Projeto Urban Trash Art;

– Virada Cultural ,São Paulo/SP ,Projeto Urban Trash Art ;

2010–Festival Internacional de Música ,SWU ,Itu/SP, Projeto Urban Trash Art;

-Virada Cultural, São Paulo/SP,Projeto Urban Trash Art ;

2001–Políticas Pessoais ,Museu de Arte Contemporânea de Americana/SP;

1996 – O Sexto em Bissexto ,Fundação Armando Álvares Penteado, São Paulo/SP;

www.rodrigomachado.art.br


ROSELY

GRAZ

Autor: Rosely Ferraiol

Técnica: arte com filtro de café usado

Dimensões: 1,55  x 0,25cm

Descrição da obra:

Tela galvanizada, ferro, filtros de café usado, com acabamento feito com pintura em eletrostática e patina ouro velho. 

 

Rosely Ferraiol é formada em Educação Física pela Faculdade de Santo André e em Ballet Clássico pela Escola Municipal de Bailado. Pós Graduada em Ginástica Rítmica Desportiva pela Universidade de Guarulhos. Criadora da Arte com Filtro de Café. Compartilha suas técnicas com as pessoas através de programas de televisão, apostilas e os 3 volumes de DVD’s lançados. Além de contribuir com a retirada do planeta, cerca de 50 mil filtros que tinham como destino o lixo, Rosely fez um trabalho de inclusão social com os internos do Presídio da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Ainda realiza palestras e oficinas em vários locais. www.roselyferraiol.com.br


morgana_site

A ARVORE DA VIDA

Homenagem 

Autor: José Prete  (In memorium – 1930*2016)

Técnica: Pintura em Verniz natural

Dimensões: 0,90  x 0,20cm

Descrição da obra:

O design da obra foi feita sem alterar o formato original de cada galho de arvore. O estilo é rustico e o acabamento da base  em madeira de reflorestamento. 

José Prete, artista que reutilizava galhos de arvores para criar esculturas nas formas mais diversificadas, respeitando a própria Arte de quando os Galhos eram podados. Usava apenas um pequeno estilete, para moldar sem modificar a estrutura original dos galhos de Arvore. Os objetos criados  atraves da sua escultura  se transformam em objetos,  mas principalmente alerta para a possibilidade em recriar uma realidade implicita, para um olhar reflexivo do disperdício de tudo quanto é possível transformar o  nosso “lixo” do dia a dia em Arte.