Os caminhos da sustentabilidade para nosso futuro comum

Passados aproximadamente 1/5 do século 21, continuamos com sérios desafios herdados dos séculos anteriores a espera de soluções. Haja visto os temas enfrentados pelos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – ODS da agenda 2030 da ONU que sucedeu os 8 Objetivos do Milênio – ODM surgidos na virada do século, em 2000 com propósitos semelhantes.

A humanidade caminha numa velocidade muito menor do que a desejada para temas constrangedores como fome, miséria, desigualdades, e mais recentemente com a inclusão do desafio climático. Este ultimo, um enorme e perigoso desafio, mas que trouxe uma contribuição positiva se é que podemos assim dizer. Ele trouxe a urgência escancarada. Ele tem prazo de validade informado e confirmado pela comunidade científica.

E o que fazer com esta informação? Esta é a pergunta que não quer calar. Não resta outra alternativa senão agir, produzir, para mudar o curso desta história. Não basta conhecer, tem que combater. E o combate é feito de práticas. Quais práticas? As melhores que o conhecimento humano for capaz de produzir e aplicar.

Saindo da ciência e desembarcando na sabedoria popular que presta um significativo serviço de reflexão coletiva, recorro ao ditado que diz que “O melhor professor na vida é a experiência. Ela cobra caro, mas explica bem”.

Se quiser conhecer experiências que não deram certo, basta ver protagonistas das manchetes de ocorrências com grandes perdas sociais, ambientais, e econômicas divulgados em horário nobre da mídia de massa.

Se quiser conhecer experiências bem sucedidas olhe para os cases de sucesso selecionados por especialistas de vários países do Programa Benchmarking Brasil ao longo de quase duas décadas. Os Cases Benchmarking atuam em temáticas especificas da sustentabilidade, portanto restrito a práticas segmentadas e temporais. São mais de 400 cases e projetos de boas práticas selecionados por mais de 200 especialistas de 25 diferentes países até o momento.

Muitas e boas práticas, são como muitos e largos passos na trilha da sustentabilidade

Uma organização que trilha os caminhos de sustentabilidade adota inúmeras práticas que fazem parte do seu processo de gestão. Portanto a prática é um dos passos desta caminhada, e não a caminhada toda. Embora a visão seja sistêmica, o olhar tem que ser específico e especializado, e com a profundidade que os princípios e diretrizes da sustentabilidade recomendam.

Portanto, muitas e boas práticas, significa muitos e largos passos na trilha da sustentabilidade. Mas se não for contínuo, a caminhada pode ser interrompida, ou o caminho desviado. O passo de ontem, não garante o de hoje. O bom caminhante tem regularidade e ritmo. O gestor e a empresa com boas práticas, também. Assim se faz a trilha da sustentabilidade rumo ao nosso futuro comum.

Sobre Benchmarking Brasil:  Um respeitado Programa de Sustentabilidade que reconhece, certifica e compartilha cases e projetos de boas práticas para acelerar o desenvolvimento técnico da gestão socioambiental brasileira. São mais de 400 cases e projetos de diferentes modalidades selecionados por especialistas de vários países, e compartilhados em publicações (livros, revistas, portais e bancos digitais) e eventos presenciais (encontros, seminários, fóruns e congressos). Benchmarking Brasil se transformou numa significativa plataforma de inteligência coletiva pelo qualificado acervo construído em quase 2 décadas de atuação. Os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) estão inclusos na metodologia de seleção dos cases e projetos, e as metas e compromissos do Programa estão na plataforma SDG (Sustainable Development Goals) da Agenda 2030 da ONU. Mais informações: www.benchmarkingbrasil.com.br

Inscrições de Cases de Boas Práticas para Certificação Benchmarking até 31/03/2019