Cases 2014 – Página 1

logo_bench_invertido_laranja

 

BANCO DIGITAL DE BOAS PRÁTICAS SOCIOAMBIENTAIS

RESUMOS CASES BENCHMARKING ­CERTIFICADOS EM 2014

Ordem Alfabética 

 

Versão Ebook, clique Aqui

 

Páginas 1   2   3

 

Empresa – ALUMAR – Consórcio de Alumínio do Maranhão 

Case: Redução de Emissões de GEE

Cidade: São Luís

Estado: MA

Responsável: Anna Neves

Cargo: Engenheira de Controle Ambiental

 

Resumo: Buscando um processo apoiado na sustentabilidade, a companhia estabeleceu como uma de suas metas estratégicas a redução das emissões de CO2 ou CO2e, tendo em vista a problemática do agravamento do Efeito Estufa no planeta Terra. Dessa maneira, a engenharia de processo da Sala de Cubas, focou esforços no controle de alimentação das cubas eletrolíticas com o intuito de reduzir o tempo de efeito anódico, fenômeno no qual há geração de PFC’s (polifluorcarbonos). O indicador que quantifica o tempo de efeito anódico nas células eletrolíticas, e que apresenta correlação direta com as emissões de CF4 e C2F6, mostrou significativa redução, apresentando recorde histórico da planta e entre todas as localidades da companhia em outubro de 2013. A redução das emissões desses gases, expressos em tCO2e/tAl produzido foi de 78% comparando-se 2011 vs 2013 e de 69% de 2012 para 2013, o que demonstra que a melhoria no último ano foi a mais significativa. Edição 2014

 

 

Ambev – Companhia de Bebidas das Américas

Case: Projeto Bacias – GAMA/DF

Cidade: São Paulo

Estado: SP

Responsável: Ricardo Rolim

Cargo: Diretor de Relações Socioambientais 

 

Resumo: Desenvolver junto à comunidade local, governos e outros atores um Plano de Recuperação de Bacia no Córrego Crispim, tributário do Rio Corumbá, e colaborar na implementação e fortalecimento do Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio Paranoá.
Capacitação de parceiros em Redes e Articulação Institucional. Para promover a construção de sociedades sustentáveis há necessidade da incorporação de mecanismos que favoreçam a troca de experiências e o acesso à informação, integrando os atores das microbacias. Dois aspectos são essenciais para garantir a continuidade de desenvolvimento local, o primeiro é o investimento em capacitação dos atores locais e o segundo é o estímulo às redes sociais. Por meio das capacitações os atores locais e parceiros constroem e compartilham uma visão comum sobre o território.  Com o objetivo de ativar a rede de moradores do Córrego Crispim foi realizada uma oficina sobre articulação de redes sociais para moradores e lideranças. Ao longo dos dois dias, os participantes reconheceram o capital humano e social local, aprenderam sobre novos instrumentos de comunicação e elaboraram um planejamento ágil para utilização do viveiro de mudas. Foi definida a construção de uma agenda de atividades, voltadas à conservação dos recursos hídricos na microbacia. Ficou visível nos mapas de conexão traçados que o grupo de participantes possuía redes de influência densas e diversificadas. Outra qualidade do grupo era a heterogeneidade econômica e cultural, o que lhes davam penetração em diversos segmentos sociais e tornou a convivência interpessoal rica em aprendizagem. Edição 2014

 

 

Empresa – ArcelorMittal Tubarão 

Case: Programa Tempo de Leitura

Cidade: Serra

Estado: ES

Responsável: Jennifer Oliva Coronel

Cargo: Especialista em Meio Ambiente

 

Resumo: O Programa Tempo de Leitura foi criado objetivando incentivar a busca pelo conhecimento dos conceitos e formas de se praticar a Sustentabilidade, dentro e fora da Empresa. A Empresa, presente na vanguarda das organizações comprometidas com a Sustentabilidade, um conceito que faz parte de seus valores, de sua estratégia e de sua rotina, busca permanentemente, manter o equilíbrio entre as dimensões econômica, social, ambiental, política, cultural e espiritual. Dessa forma, visando transformar as pessoas em agentes efetivos de conscientização, para que atitudes em prol da Sustentabilidade possam surgir em um ambiente que as valorize e amplie, foram estabelecidos os seguintes objetivos específicos: Apresentar conceitos de Sustentabilidade e suas dimensões. Refletir sobre a história do Universo, do Ser Humano e sua responsabilidade como espécie. Estimular os participantes, através de exemplos reais, à reflexão e discussão coletiva dos dilemas e desafios envolvidos. Edição 2014

 

 

Empresa – Braskem  

Case: Evolução – Mudanças Climáticas

Cidade: São Paulo

Estado: SP

Responsável: Luiz Carlos Xavier

Cargo: Coordenador de Desenvolvimento Sustentável

 

Resumo: Compromissada desde a sua criação com o desenvolvimento sustentável, a empresa estabeleceu 3 pilares para suportar a sua estratégia de sustentabilidade e vem se destacando na gestão das suas emissões de gases de efeito estufa. Em relação ao primeiro pilar de Fontes e Operações cada vez mais sustentáveis, investe na melhoria dos processos para reduzir suas emissões de gases de efeito estufa: Em 2009, lançou o Manifesto de Mudanças Climáticas (É preciso amadurecer para ser verde0, quando foi estabelecido o objetivo de reduzir a intensidade das emissões em 11% para 2012 (com relação a 2008) e, ainda, uma meta de longo prazo de 0,6 toneladas de CO2e por tonelada de produto em 2020, redução de 17% em relação ao ano base de 2008. Em 2013, com o objetivo estabelecido até 2012 já superado, a redução na intensidade das emissões já alcançava de 12,5%. Em relação ao segundo pilar, Portfólio de Produtos cada vez mais sustentável, pode-se destacar: Em 2010 o lançamento do primeira Planta de Plástico Verde certificada que promove a captura de 500.000t CO2e ao ano. Equivalente a plantar 3,5 milhões de árvores por ano. Em 2012 o lançamento da linha de produtos Maxio, um portfólio de resinas com diferenciais competitivos e ambientais, dentre eles a oportunidade de redução do consumo de energia pelos clientes. Em 2013, foi a empresa química pioneira no Brasil em publicar estudos da pegada de carbono de suas resinas, cujos resultados mostram valores melhores que a média das indústrias americana e europeia. Em relação ao terceiro pilar, construir Soluções para uma vida mais sustentável, o plástico por suas características tem contribuído para a redução do consumo de combustíveis fosseis e consequentemente a redução das emissões de gases de efeito estufa através de soluções pela redução do peso das embalagens nos transportes; assim como, têm apoiado soluções em segurança alimentar e agricultura. Edição 2014

 

 

Empresa – Cargill Agrícola  

Case: Ação Renove o Meio Ambiente

Cidade: São Paulo

Estado: SP

Responsável: Fernando Janizello

Cargo: Analista de Sustentabilidade

 

Resumo: Diante dos impactos ambientais negativos oriundos do descarte incorreto do óleo residual, foi criado o Programa Ação Renove o Meio Ambiente, que em essência, consiste em um programa de logística reversa, por meio do qual implanta pontos de coleta de óleo vegetal usado em locais de fácil acesso ao consumidor e estabelece parcerias para a coleta e reciclagem do óleo coletado, cujo destino final é a fabricação do biodiesel, um combustível de fonte limpa e renovável, estimulando em todas as etapas, a conscientização e educação ambiental. Hoje, presente em 5 estados brasileitos, o objetivo do Programa é estar presente em todas as regiões do país, levanto cada vez mais próximo do consumidor uma alternativa sustentável para descarte de óleo vegetal residual. Para estabelecer as parcerias necessárias para o funcionamento do Programa, a empresa realiza apresentações, oferecendo o Programa à redes varejistas e atacadistas, shopping centers, padarias, restaurantes, órgãos públicos, entre outros, formalizando com um termo de parceria com os que concordam em participar. Paralelamente a corporação busca parceiros que possam realizar a coleta e processamento deste resíduo. Essas empresas são homologadas juridicamente, tendo seus documentos e licenças analisadas e são submetidas à visita técnica de equipe especializada, após aprovações, é firmada minuta de parceria, assegurando a participação da mesma no Programa. Tais empresas são treinadas para atuar no escopo do Programa Ação Renove o Meio Ambiente, bem como para operacionalização do sistema de gestão on line, ferramenta fundamental para operação do Programa. No termo de parceria assinado entre as partes, fica formalizado entre as partes, fica formalizado as responsabilidades de cada um no Programa, inclusive as ações de conscientização e educação ambiental, responsabilidade de todos os envolvidos. Todo óleo coletado pelo Programa é destinado à produção de biodiesel, combustível limpo e de fonte renovável. Edição 2014

 

 

Empresa – Casa da Moeda do Brasil 

Case: Gestão Total de Residuos

Cidade: Santa Cruz

Estado: Rio de Janeiro

Responsável: Hamilton da Cunha Carnaval

Cargo: Gerente Executivo

 

Resumo: A empresa, até 2009, dispunha de diversos contratos diferenciados para destinação final de seus resíduos, os quais eram separados por tecnologias, a saber: disposição em aterros sanitários e industriais classes I e II, incineração e recuperação/reciclagem. Além disso, contava com uma equipe interna; com capacitação insuficiente e sem dedicação exclusiva para execução das etapas de coleta, transporte interno, pesagem e armazenagem temporária dos resíduos.
Diante deste cenário, vislumbrou-se a necessidade de implantar o Gerenciamento Total de Resíduos na empresa, como proposta de otimização, tanto dos processos licitatórios quanto do planejamento desde a geração dos resíduos até sua destinação ambientalmente correta, em consonância com as diretrizes do Planejamento Estratégico da empresa e a Política Nacional de Resíduos Sólidos.
A contratação dos serviços de gerenciamento total de resíduos, aliada à aquisição de software para Sistema de Gestão Ambiental e construção da central de Resíduos teve como objetivos a implantação de um conjunto de técnicas e procedimentos, visando evitar ou reduzir a geração de resíduos na fonte, maximizar o reaproveitamento e reciclagem dos resíduos, oferecendo diversos tipos de destinação ambientalmente adequadas como reciclagem, co-processamento, compostagem, incineração, aterros e outros. Edição 2014

 

 

Empresa – Cemig Geração e Transmissão 

Case: Programa Peixe Vivo

Cidade: Belo Horizonte

Estado: MG

Responsável: Raquel Coelho Loures Fontes

Cargo: Coordenadora do Programa Peixe Vivo

 

Resumo: O Programa Peixe Vivo criado em 2007, atua na preservação da ictiofauna em Minas Gerais e definindo estratégias de proteção para evitar e prevenir morte de peixes em usinas hidrelétricas. Suas principais ações estão sintetizadas na missão do programa: Minimizar o impacto sobre a ictiofauna buscando soluções e tecnologias de manejo que integrem a geração de energia elétrica pela empresa com a conservação das espécies de peixes nativas, promovendo o envolvimento da comunidade?. Para cumprir sua missão, o Programa se sustenta em três pilares: Conservação e Manejo que visam adoção das melhores práticas para conservação de peixes; Pesquisa e Desenvolvimento que ampliam o conhecimento científico sobre ictiofauna e subsidiam estratégias de conservação mais eficientes e Relacionamento com comunidade que divulga ações e resultados do Programa para a sociedade, buscando seu envolvimento no planejamento estratégico que se torna mais completo com a diversidade de visões sobre mesmo assunto. Edição 2014

 

 

Empresa – CPFL Energia 

Case: EE_ANEEL: Educacionais CPFL e RGE

Cidade: Campinas

Estado: SP

Responsável: Estela Kurts

Cargo: Consultor externo

 

Resumo: Como um dos líderes do setor de energia elétrica, e educação par a Eficiência Energética é mais do que uma adequação à ANEEL, é uma questão tratada no planejamento estratégico da empresa. Desde 1998, já foram investidos cerca de R$ 1,936 milhões em 3.219 projetos ligados aos PEEs, dentre os quais na área de Educação, que não é obrigatória por lei, tem se destacado pela confiança da empresa em que atingir públicos infanto-juvenis pode garantir resultados mais efetivos, primeiro a criança e a escola, e depois a família. Com esta visão, a empresa mantém dois projetos de Educação Energética com formatos distintos, mas propósitos similares. Apostar em modelos distintos ajuda a avaliar a adequação aos públicos, oportunidades inovadoras de aprendizado e servem de base para desenvolvimento de projetos futuros. Os dois projetos se desenrolam em duas regiões do país: Interior do Estado de São Paulo e no Rio Grande do Sul. Projeto de Educação para eficiência Energética no Rio Grande do Sul. O primeiro surgiu em 2010, no estado gaúcho. Fisicamente, apresenta-se como um Espaço Educativo Interativo, cuja disposição de materiais e elementos forma uma grande Arena Cênica. O Projeto envolve arte, cultura, ciência, tecnologia, energia, segurança, eficiência energética e Meio Ambiente. A Arena é a responsável por acomodar o Espetáculo Teatral e o Túnel do Conhecimento, com uma programação aberta ao público e gratuita. Para cativar, a estratégia é a diversão, mas os fundamentos estão embasados em conteúdos didáticos, previamente trabalhados em sala de aula com diferentes suportes por jovens em idade escolar, de 6 a 18 anos, que estão frequentando Anos Iniciais e Anos Finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio. O envolvimento e a formação dos educadores são fundamentais em todo o processo e ocorrem, paralelamente, por meio de seminários. Edição 2014

 

 

Empresa – Damha Urbanizadora e Construtora  

Case: Valoração da Cultura Regional

Cidade: São Paulo

Estado: SP

Responsável: Fernanda Toledo

Cargo: Gerente de Relacionamento e Presidente da Associação Bairro Sustentável

 

Resumo: O projeto de “Desenvolvimento e Organização da Cultura e Arte” em Barra dos Coqueiros (SE), próxima a Aracaju, foi criado pela associação da empresa de urbanização para incentivo sustentável do turismo e melhora da renda e qualidade de vida das comunidades do entorno do residencial. A ação principal é a construção do Centro de Cultura e Arte para os “artistas da terra” e comércio de artesanato. O projeto arquitetônico será entregue em maio (2014) e as obras serão concluídas até novembro de 2015 por construtoras parceiras. O diagnóstico com 10 lideranças comunitárias mostrou o anseio dos moradores de desenvolver e organizar as atividades culturais, fato constatado pelo sucesso de dois eventos culturais com público superior a 1.500 (2012) e 2.000 pessoas (2013). Outras ações são: reforma em mutirão de 2 salas de aula de um centro comunitário e cursos profissionalizantes, além da previsão de realização de oficinas de artesanato para 240 pessoas e educação ambiental para 24 professores. Edição 2014

 

 

Empresa – Danone 

Case: Projeto Novo Ciclo

Cidade: São Paulo

Estado: SP

Responsável: Veridyana de Oliveira Cesar

Cargo: Coordenadora de Sustentabilidade

 

Resumo: O Projeto visa fortalecer o trabalho dos catadores de materiais recicláveis da região do Sul de MG. É resultado de uma importante parceria com a ONG INSEA e com o Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR). Frente às exigências da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), a empresa optou por atuar por meio de um modelo social que está potencializando o espírito empreendedor dos catadores das 27 cooperativas situadas em 23 municípios no sul de Minas Gerais. O projeto se iniciou em 2012 com três pilares principais: *Criação de uma Rede de Cooperativas: O modelo de organização em rede visa proporcionar um maior volume na venda, e, como consequência, agregar valor ao material e facilitar o acesso à indústria, resultando em um aumento da renda dos catadores. A Rede também possibilita que os catadores troquem entre si boas práticas, informações sobre mercado, além de se estimularemmotivarem pela experiência de outras cooperativas. *Implementação da coleta seletiva: O engajamento dos governos municipais na implementação de Programas de Coleta Seletiva nas cidades é fundamental para garantir que chegue volume e material de boa qualidade às cooperativas. Este pilar também envolve a mobilização social, visando o engajamento da comunidade na separação correta do material reciclável. *Fortalecimento das cooperativas: O Projeto também se propõe a dar suporte às cooperativas, por meio de treinamentos e assistência técnica local, visando melhorar as condições de trabalho, além da eficiência e da melhoria dos processos administrativos e operacionais. Também é parte do projeto desenvolver o espírito empreendedor do catador, trabalhando sua autoestima e profissionalizando cada vez mais o seu trabalho. Edição 2014

 

Páginas 1   2   3