Regulamento

louro_dourado_generico_bb_MAISCULA_P                         O conhecimento socioambiental aplicado e compartilhado pelas empresas e instituições brasileiras contribuindo com a construção de sociedades sustentáveis

 

 REGULAMENTO

 1 – A empresa e/ou instituição deverá ter CNPJ constituído e atividade legalizada em território brasileiro, ter sido contactada pela Organização e/ou Apoiadores, estar ciente, em concordância, e apta a cumprir os requisitos de participação (Terá acesso ao termo de Compromisso no ato da inscrição). Deverá também contar com pelo menos 1 responsável direto pela prática socioambiental (case) inscrita.

2 – Deverá preencher o formulário de inscrição on line no período de 24/01 a  31/03/2017, imprimir e assinar o termo de compromisso e encaminha-lo à Organização (scaneado e pelo correio) até dia 17/04/2017. Scaneado para o email bench@maisprojetos.com.br ou cases@benchmarkingbrasil.com.br  e também pelo correio A/C Marilena Lino A. Lavorato – MAIS PROJETOS, Rua Herculano de Freitas, 307/155 – Cerqueira Cesar – São Paulo/SP – CEP.: 01308-020

3 – A empresa e/ou instituição poderá inscrever e concorrer com até 02 cases por CNPJ. Se os cases alcançarem pontuação igual e/o superior a 7.1 (índice técnico, nota de corte), serão selecionados (ambos ou apenas o que obtiver este índice) para integrar o Ranking Benchmarking Brasil 2017. A organização que tiver os 2 cases com índice técnico (score igual ou superior a 7.1) poderá continuar com ambos, ou declinar de um deles (o de menor pontuação) sem penalidade de desistência para o case em que declinou. Caso decline dos 2 cases com índice técnico (score igual ou superior a 7.1), terá penalidade para ambos. O mesmo critério é valido para inscrição de apenas 1 case, ou seja, se declinar do case após encerramento do prazo de inscrição e o mesmo tiver obtido índice técnico (score igual ou superior a 7.1) terá penalidade de desistência. Veja item 9 do termo de compromisso.

4 – A empresa e/ou instituição que não tiver seu case selecionado não terá esta condição divulgada sob hipótese alguma e poderá concorrer no próximo ano com o mesmo case, se assim desejar, atualizando seus resultados e melhorias. Terá também direito a 1 ingresso cortesia para participar do “Dia Benchmarking, Compartilhar par Crescer”  (Bench Day) para atualizar e se inspirar com os cases Benchmarking da edição. Apenas os cases selecionados serão divulgados, permanecendo em total confidencialidade os cases não selecionados/aprovados.

5 – A Comissão Técnica indicada para a edição atual, mediante os critérios estabelecidos neste regulamento terá até o dia 04/05/2017 para validar e selecionar até 35 cases, com índice técnico (pontuação a partir de 7.1). A decisão neste nível será soberana e não caberá recursos ou questionamentos. Para total imparcialidade dos resultados, veda-se a inscrição de cases de empresas e/ou instituições cujos representantes da comissão técnica façam parte. Em se tratando de instituição, e no caso de instituição nacional, apenas a regional da qual o integrante faça parte não poderá inscrever cases, ficando as demais unidades livres para tal opção. Também o critério de seleção dos cases determina que o jurado analise o conteúdo do case sem conhecimento da organização/empresa que pertence.

6 – A empresa e/ou instituição que tiver seu case aprovado pela Comissão Técnica será comunicada de tal fato pelos organizadores do Programa Benchmarking Brasil até o dia 02/06/2017, e, terá até 14/06/2017 para cumprimento dos requisitos estabelecidos e pré-aprovados, e consequente validação de sua participação e reciprocidade (Veja Termo de Compromisso disponibilizado na inscrição do case). O não cumprimento de apenas 01 dos requisitos constantes no termo de compromisso será suficiente para desclassificar o case selecionado, ficando o mesmo sujeito a penalidade de desistência citado no 3 deste regulamento.

7 – A empresa e/ou instituição que tiver seu case selecionado, receberá certificado com a pontuação conquistada pelo case, troféu com sua colocação no Ranking, e Cdrom com os resumos de cases Benchmarking da edição, fotos digitais de sua participação no Seminário e Solenidade Benchmarking. Os cases Benchmarking serão reconhecidos e citados nesta condição em todo material promocional da iniciativa (tela abertura, site, newsletter, programação, etc.), releases, coberturas e entrevistas concedidas à imprensa. Também terão divulgados esta condição (Ranking) na 13a edição da Revista Benchmarking (versão impressa e eletrônica – 2 mil exemplares distribuídos e encaminhados para especialistas, cientistas, artistas, ativistas de todo país), e nos Encontros Técnicos (Fóruns de Sustentabilidade) do Instituto MAIS em parceria com instituições de ensino e representativas, durante 1 ano a contar da realização do evento. Veja Programação 2017

8 – As empresas e/ou instituições selecionadas terão no dia do evento (29/06/2017) a sua disposição para apresentação do seu case os seguintes equipamentos audiovisuais: datashow e computador. Veja a programação de Bench Day 2017 – AQUI

9 – Situações não contempladas no regulamento e/ou critérios, serão analisadas pela comissão técnica, cuja decisão será soberana não cabendo recursos ou questionamentos.

10 – Os Organizadores se reservam no direito da não realização da iniciativa caso não haja quorum suficiente de cases aprovados pela Comissão Técnica, ou, o não cumprimento por parte das empresas e/ou instituições que tiveram seus cases selecionados em relação aos requisitos constantes neste regulamento e no termo de compromisso.


SELEÇÃO

1- COMISSÃO TÉCNICA:

Um dos pilares do Programa Benchmarking Brasil é a sua comissão técnica que é única em seu formato de composição, analise e critérios de avaliação. A composição da comissão técnica compreende identificação de nomes consagrados de personalidades e especialistas comprometidos com ações sustentáveis e atuantes em entidades de reconhecido valor representante dos mais significativos segmentos da sociedade.  Os critérios de avaliação são transparentes (ver metodologia) e os membros da comissão técnica avaliam a qualidade gerencial do case sem ter acesso ao nome da instituição.

EDIÇÃO 2017 – Nomes em Ordem Alfabética

  1. Aline Cardoso, Co-fundadora da Rede Gente Urbana e vereadora da cidade de São Paulo – São Paulo/SP
  2. Antonio Donato Nobre, Pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) e do Centro de Ciencia do Sistema Terrestre do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) – São José dos Campos/SP
  3. Claudia Melim, Consultora Líder de Alterações Climáticas da MMC (Melim McLeod Consulting) – Nesoya/Noruega
  4. Fabio Guido, Especialista em Finanças para Sustentabilidade no WWF – São Paulo/SP
  5. Fernanda Mocellin Baumhardt, CERAH – Consultora da Federação Internacional da Sociedade Cruz Vermelha e Professora Associada do Centro de Educação e Investigação em Ação Humanitária – Genebra/Suiça
  6. Honório Campante, Consultor Nacional de Benchmarking do IAPMEI de Portugal e coautor do Módulo Ambiente e Energia do Índice Português de Benchmarking – Aveiro/Portugal
  7. Ismael Rocha, Diretor Acadêmico da ESPM Social – São Paulo/SP
  8. Jacimara Guerra Machado, Diretora de Qualidade Ambiental do IBAMA – Brasília/DF
  9. José Manuel da Fonseca, Pesquisador de Chalmers University of Technology – Gutemburgo/Suécia.
  10. Leslei  Lukacs, Fundadora e Presidente do Conselho de Iniciativas Verdes para Locais e Eventos (GIVE) – São Francisco/USA
  11. Mário Carrilho Negas, Professor de gestão no Departamento de Ciências Sociais e Gestão da Universidade Aberta (UAb) – Lisboa/Portugal
  12. Marlei Pozzebon, professora pesquisadora HEC Montreal (École des hautes études commerciales de Montréal) – Montreal/Canadá 
  13. Pål Mårtensson, Criador e gestor do maior parque de reciclagem do mundo “Kretsloppsparken Alelyckan”com mais de 35 mil metros quadrados – Gothemburg/Suécia.
  14. Ruth Caprile, Professora da Universidade Católica Andrés Bello e Membro ALENE (Asociación Latinoamericana de Ética, Negocios y Economía) – Caracas/Venezuela
  15. Sérgio Monforte – Especialista em Sustentabilidade do CNI – Confederação Nacional da Industria – Brasília/DF 

1.1 – RESPONSABILIDADES DA COMISSÃO TÉCNICA

Conforme critérios da metodologia Benchmarking, certificando os melhores “cases” da Gestão Socioambiental Brasileira conferindo o status de Case Benchmarking, referencia e exemplo a seguir pela excelência da pratica adotada.

Critérios: Pontuação por quesitos
Notas individuais de 0 a 10 para cada quesito
Se houver empate, vence o case que tiver a maior nota no quesito continuidade
Se mesmo assim continuar o empate, a comissão técnica decide
Total de pontos: Média aritmética dos quesitos.
Situações não contempladas no regulamento e/ou critérios, serão analisadas pela comissão técnica, cuja decisão será soberana não cabendo recursos ou questionamentos.

Formato da apresentação dos cases:
As empresas preencherão um formulário de inscrição online com quesitos que serão avaliados pela Comissão Técnica, adotando para isto, uma linguagem padrão (texto). O preenchimento “on-line” é obrigatório, click Formulário de Inscrição.


2- CRONOGRAMA DE TRABALHO

1ª Etapa: A organização recebe, filtra conforme critérios do regulamento, e disponibiliza a Comissão Técnica os “cases” inscritos até 05/05/2017
2ª Etapa: A Comissão Técnica faz a avaliação fornecendo notas a cada quesito do case inscrito até 12/05/2017
3ª Etapa: A Comissão Técnica oficializa as notas de cada case, e, havendo empate, procede conforme os critérios estabelecidos até 19/05/2017
4ª Etapa: A Organização comunica às empresas e instituições que tiveram seus cases selecionados e as orienta a respeito dos requisitos a serem cumpridos em relação aos prazos e procedimentos necessários até 02/06/2017
5ª Etapa: Organização só fornecerá a ordem da classificação dos cases vencedores, no XV Bench Day que será realizado no dia 29 de Junho de 2017, no Hall Nobre do Tribunal Regional Federal da 3a Região (TRF3), Av. Paulista, 1842 – 25o andar, em São Paulo/SP.
6ª Etapa: As empresas e instituições que tiveram seus cases selecionados enviam digitalmente suas apresentações até 14/06/2017.
7ª Etapa: As empresas e instituições selecionadas apresentam os cases e conhecem suas classificações  no XV Bench Dayem 29/06/2017, 5ª feira, em São Paulo. Veja BenchDay 2016


3- QUESITOS A SEREM AVALIADOS COM PONTUAÇÃO:

 

  1. Descrição resumida: apresentação geral com os principais objetivos, metas e métodos do case. Em analise o foco do case.
  2. Responsáveis: Cargo e especialização da equipe responsável pela implantação e acompanhamento do projeto, informando se equipe própria, externa ou mista.Em análise a capacidade técnica da equipe, sua multidisciplinaridade e interfaces.
  3. Duração: período em que transcorreu as fases do case – pesquisa, planejamento , pilotos, implantação, aferição, continuidade, etc. Em análise a qualidade de formatação e desempenho na implementação do case
  4. Participação: abrangência, flexibilidade e atuação das áreas envolvidas (Interna: setores, departamentos, número de colaboradores. Externa: comunidades, fornecedores, regiões, etc). Em análise a mobilização, poder de articulação, sincronicidade e potencialização do case.
  5. Continuidade: práticas de acompanhamento /aferições/correções, e metas progressivas projetadas para a melhoria continua da iniciativa dentro da política ambiental da empresa. Em análise a envergadura (e seu potencial de interferência) do case na política socioambiental da instituição definindo posicionamentos, comprometimentos e investimentos futuros nesta e/ou outras iniciativas.
  6. Resultados: os principais resultados conquistados (indicadores quantitativos e qualitativos). Em análise a performance do case.
  7. Recomendações/Conclusões: Indicação de pontos relevantes do case, considerados fatores decisivos para seu sucesso que merecem destaque para o aprendizado corporativo.Em análise o potencial de replicabilidade do case.