Banco Digital Recursos Hídricos 1

BANCO DIGITAL DE BOAS PRÁTICAS SOCIOAMBIENTAIS
RESUMOS CASES BENCHMARKING

TEMÁTICA GERENCIAL

 RECURSOS HÍDRICOS

Paginas: 01 02 03 04 05 06 07 08

 

Ambev – Companhia de Bebidas das Américas

Case: Banco Água

Cidade: São Paulo

Estado: SP

Responsável: Ricardo Rolim

Cargo: Diretor de Sustentabilidade e Comunicação

 

Resumo: O Banco Água é uma iniciativa do Movimento “Quem vê água enxerga seu valor”, criado pela empresa participante com o intuito de levar para a sociedade a preocupação com o tema água. O objetivo do projeto é engajar toda a sociedade para que todos percebam que podem contribuir para que a água do mundo, um recurso tão importante e limitado, seja usada racionalmente. A ideia é introduzir o tema no dia a dia das pessoas, estimulando um consumo sustentável da água e engajando toda a sociedade quanto à relevância desse tema, recompensando aqueles que conseguirem diminuir a utilização do recurso. Com isso, o morador pode acompanhar seu desempenho na conta de água e, à medida que reduz o consumo, acumula pontos que podem ser trocados por descontos em sites de compras, como Americanas.com, Submarino.com, ShopTime, Ingresso.com. Edição 2011 

 

Ambev – Companhia de Bebidas das Américas

Case: Projeto Bacias – GAMA/DF

Cidade: São Paulo

Estado: SP

Responsável: Ricardo Rolim

Cargo: Diretor de Relações Socioambientais 

 

Resumo: Desenvolver junto à comunidade local, governos e outros atores um Plano de Recuperação de Bacia no Córrego Crispim, tributário do Rio Corumbá, e colaborar na implementação e fortalecimento do Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio Paranoá. Capacitação de parceiros em Redes e Articulação Institucional. Para promover a construção de sociedades sustentáveis há necessidade da incorporação de mecanismos que favoreçam a troca de experiências e o acesso à informação, integrando os atores das microbacias. Dois aspectos são essenciais para garantir a continuidade de desenvolvimento local, o primeiro é o investimento em capacitação dos atores locais e o segundo é o estímulo às redes sociais. Por meio das capacitações os atores locais e parceiros constroem e compartilham uma visão comum sobre o território.  Com o objetivo de ativar a rede de moradores do Córrego Crispim foi realizada uma oficina sobre articulação de redes sociais para moradores e lideranças. Ao longo dos dois dias, os participantes reconheceram o capital humano e social local, aprenderam sobre novos instrumentos de comunicação e elaboraram um planejamento ágil para utilização do viveiro de mudas. Foi definida a construção de uma agenda de atividades, voltadas à conservação dos recursos hídricos na microbacia. Ficou visível nos mapas de conexão traçados que o grupo de participantes possuía redes de influência densas e diversificadas. Outra qualidade do grupo era a heterogeneidade econômica e cultural, o que lhes davam penetração em diversos segmentos sociais e tornou a convivência interpessoal rica em aprendizagem. Edição 2014 


AGCO do Brasil

Case: Gestão Sustentável de Recursos Hídricos: Reuso da Água
Cidade: Canoas
Estado: RS
Responsável: Norbert Luckow
Cargo: Gerente de Meio Ambiente, Segurança e Saúde Ocupacional

 

Resumo: A crescente demanda da utilização da água para diversos fins consolida a importância deste bem como um fator fundamental para a sobrevivência da espécie humana. Esta condição garante que a água tenha um papel de destaque no Sistema de Gestão Ambiental da AGCO fortalecendo um processo estruturado para atingir a melhoria contínua da gestão sustentável dos recursos hídricos. É neste contexto que se insere o novo conceito de Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) que busca alternativas ambientalmente sustentáveis para gerenciar os seus efluentes. Uma alternativa empregada para o tratamento de efluentes visando o atendimento pleno dos requisitos legais é a utilização de sistemas de plantas aquáticas emergentes (PAE) que constituem sistemas de transição entre sistemas aquáticos e sistemas terrestres, em que o nível d’água comumente está próximo ou na superfície da terra. Edição 2007

  

ALUMAR – Consórcio de Alumínio do Maranhão 
Case:
 Redução no Consumo de Água Potável e Eliminação de Descarga de Efluentes.

Cidade: São Luís 
Estado: MA
Responsável: Domingos Campos 
Cargo: Gerente de Meio Ambiente e Segurança no Trabalho 

 

Resumo: A metodologia utilizada foi à criação de um time de redução no consumo de água e de descarga zero de efluentes, onde foram envolvidas pessoas de diversas áreas de atuação. É importante ressaltar o apoio recebido da Liderança da fábrica, onde temos gerentes e superintendentes diretamente envolvidos no desenvolvimento do Projeto. Além disso, foram realizadas campanhas de conscientização do uso racional da água, dentre outras. O consumo médio de água em 2001 foi de 2.227.881 m3/ano. Desde a implementação das metas de redução propostas pela Estratégia Global de Sustentabilidade da Companhia, várias ações foram tomadas com intuito de reduzir o consumo de água potável, e como resultado tivemos uma redução gradativa ao longo dos anos, alcançando 51% de redução no consumo no ano de 2007. Além disso, houve o direcionamento da descarga de um dos lagos de processo da Planta para um lago de armazenamento de água pluvial, evitando o lançamento de efluentes no meio ambiente. Edição 2008

 

ALUMAR – Consórcio de Alumínio do Maranhão 
Case:
  Redução da Pegada Hídrica por meio de parceria sustentável entre empresas para utilização de efluentes industriais no processo produtivo.

Cidade: São Luís 
Estado: MA
Responsável: Adonay M. Souza 
Cargo: Supervisor de Engenharia

 

Resumo: Com a meta de reduzir a pegada hídrica em 10% até 2020 e 25% até 2030 (base no consumo de 2005) para preservar o Meio Ambiente e garantir a disponibilidade de recursos naturais para as comunidades vizinhas e futuras gerações foi concebido o Projeto de Interligação entre a ETEI (Estação de Tratamento de Efluentes Industriais) de uma empresa Cervejeira vizinha, e a Área de Resíduo de Bauxita em operação da Refinaria. Em um ato de cooperação sustentável, em que os benefícios se aplicam a todas as partes envolvidas, as duas empresas firmaram uma parceria através da qual todo o efluente industrial gerado pela Cervejaria, antes descartado no Rio Pedrinhas, é direcionado para a Área de Resíduo de Bauxita, com o objetivo de contribuir com o volume de água necessário para atender a demanda hídrica da operação da Refinaria.  Como o fluxo produtivo da Cervejaria é sazonal, em picos de produção, a vazão do efluente tratado e direcionado para a Refinaria representa 65% de toda a água doce utilizada. Edição 2013.

 

Paginas: 01 02 03 04 05 06 07 08